Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

STJD deve tirar mando de sete clubes

cúpula do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) não tem nenhuma dúvida: vai haver uma enxurrada de perdas de mando de campo nas próximas rodadas do Campeonato Brasileiro. Vários clubes serão julgados e responsabilizados até o meio da semana que vem por atitudes inconvenientes de torcedores. Estão na mira do STJD o líder Atlético-PR e mais seis clubes: São Caetano, Grêmio, Paraná, Atlético-MG, Botafogo e Juventude. Todos já foram indiciados em primeira instância por causa de incidentes ocorridos em partidas nas quais detinham o mando de campo.O Santos também está envolvido em problema semelhante e tentará reverter decisão da 3ª Comissão Disciplinar do STJD, que lhe aplicou perda de mando de campo de duas partidas por causa de distúrbio no jogo com o Vitória, na Vila Belmiro. Mas não deverá ter sucesso. Nos bastidores do tribunal, vai prevalecer o que as súmulas registrarem e o que as imagens mostrarem. "Se houve denúncia e a Procuradoria do STJD a aceitou, é porque há, no mínimo, fortes indícios de irregularidades", disse um auditor do tribunal, que deve participar dos julgamentos citados em última instância. "Não vai haver relaxamento, não existe isso." Uma das situações mais complicadas é a do Atlético-PR. Um vídeo entregue ao STJD exibe imagens de objetos sendo lançados da área social do Arena da Baixada contra jogadores do Atlético-MG, em partida realizada no dia 2. O clube paranaense pode perder mando de campo por até três jogos. A tendência, no entanto, é que a punição seja um pouco mais branda e que o Atlético-PR fique privado de atuar em seu estádio por duas partidas (contra Internacional e Criciúma). O clube que for punido com base no Artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBDJ), tem de disputar a partida, ?em casa?, a pelo menos 150 quilômetros de sua cidade. O Artigo 213 trata das penas aos clubes que não tomam providências para prevenir o reprimir desordens em sua praça desportiva.

Agencia Estado,

20 de outubro de 2004 | 19h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.