STJD interdita estádio Almeidão após briga de torcida na Copa do Nordeste

Entulhos da arena em João Pessoa foram usados na briga entre torcedores de Botafogo-PB e Sport

AE, Agência Estado

24 de janeiro de 2014 | 19h10

RIO - O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) anunciou nesta sexta-feira interdição do Estádio José Américo Almeida Filho, conhecido como Almeidão, em João Pessoa, na Paraíba. A decisão foi assinada pelo presidente do tribunal, Flávio Zveiter, que ainda pediu a abertura de inquérito para apurar responsabilidades da CBF e da Federação Paraibana de Futebol, após a briga de torcidas que aconteceu no local.

Mesmo passando por obras, o Almeidão recebeu a partida entre Botafogo-PB e Sport no último domingo, válida pela Copa do Nordeste. O local tem capacidade para 42 mil torcedores, mas apenas oito mil ingressos foram liberados. Mesmo assim, um laudo da Polícia Militar expedido neste ano não dava condições de uso ao estádio.

No segundo tempo da partida, que terminou empatada em 1 a 1, houve um princípio de confusão nas arquibancadas. Entulhos do estádio acabaram sendo utilizados na briga entre os torcedores. A polícia interveio usando gás de pimenta, que acabou atingindo até mesmo os jogadores que estavam em campo.

A interdição do Almeidão foi pedida na última quarta-feira pelo procurador-geral do STJD, Paulo Schmitt. Ele também solicitou apuração sobre quem autorizou a realização da partida no local, alegando que o estádio foi liberado sem a prévia autorização das autoridades competentes, sugerindo um "erro grosseiro" da Federação Paraibana de Futebol, a quem compete "providenciar as medidas locais de ordem técnica e administrativa, necessárias e indispensáveis à logística e segurança das partidas", bem como "informar à CBF, até 30 dias antes do início das competições, os possíveis impedimentos à utilização dos estádios".

No seu pedido, Paulo Schmitt frisa ainda que deve ser apurada a responsabilidade da CBF "acerca da legalidade e legitimidade da autorização de realização da partida sem que houvesse laudo técnico e sem condições mínimas de segurança". Tanto a Federação Paraibana de Futebol quanto a CBF foram denunciadas com base no artigo 191 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que trata de punições relativas à administração desportiva e prevê multas que variam de R$ 100 a R$ 100 mil, além de suspensão ou advertência.

CLUBES

Nesta semana, Sport e Botafogo-PB já haviam sido denunciados em virtude da briga entre as duas torcidas. Se condenados, cada um poderá ter de jogar até 10 partidas com portões fechados, além de pagar multa. O procurador Gustavo Normanton Delbin também denunciou o árbitro Wagner Nascimento Guimarães, a delegada da partida, Maria do Socorro Leite, e a Federação Paraibana de Futebol. Nesta sexta-feira, o time paraibano ainda foi denunciado por supostamente ter escalado dois jogadores de maneira irregular.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa do NordesteSTJD

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.