STJD julga "brigões do clássico" na terça

O zagueiro Fábio Luciano e o goleiro Doni, do Corinthians, poderão ficar fora de atividade por até três meses. Eles foram denunciados nesta quinta-feira pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por responsabilidade direta no tumulto generalizado ocorrido no clássico entre Corinthians e Santos, quarta-feira, no Morumbi, pela Série A do Campeonato Brasileiro. O árbitro Sálvio Spíndola Fagundes Filho também pode ser punido com 90 dias de suspensão. Na súmula do jogo, ele disse apenas que houve um ?empurra-empurra?. Os dois atletas estão enquadrados no Artigo 310 do Código Brasileiro Disciplinar de Futebol (CBDF), em seu parágrafo único, que prevê pena de suspensão de 30 a 90 dias por agressão contra companheiro de equipe ou adversário que resulte em lesão corporal grave. Para o presidente do STJD, Luiz Zveiter, o jogador Fabiano, do Santos, sofreu lesões sérias provocadas pela dupla corintiana durante o tumulto em que praticamente todos os atletas dos dois times se envolveram. ?O que houve foi uma vergonha para o futebol?, afirmou Zveiter. O próprio Fabiano e seu colega de clube, o goleiro Fábio Costa, além do zagueiro César, do Corinthians, também vão responder pelo Artigo 310, mas não foram inseridos no texto do parágrafo único. Portanto, estão sujeitos a pena de suspensão de dois a quatro jogos. Spíndola foi muito criticado por não ter expulsado nenhum atleta e, o mais grave, na opinião dos auditores do tribunal, pela omissão no relato do incidente na súmula, enviada à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e depois remetida ao STJD. O texto do documento chega a impressionar pela passividade de seu autor. ?A partida ficou paralisada durante quatro minutos no segundo tempo devido a tumulto entre os jogadores, com empurra-empurra deambos os lados?, registrou o árbitro no trecho da súmula. Na verdade, o confronto ocorreu após uma entrada desleal de Fábio Costa em Liedson. Todos os denunciados serão julgados na terça-feira, pela 2ª Comissão Disciplinar do STJD. Portanto, vão ter condições de jogo no fim de semana. Os auditores do tribunal assistiram à parte do teipe do clássico, no início da noite desta quinta-feira. Ficaram indignados com a atitude dos atletas. Pela manhã, o presidente da Comissão Nacional de Arbitragem, Armando Marques, fez elogios a Spíndola. ?Fora a briga, ele apitou bem e não se pode condenar um juiz que tem um bom saldo.? Armando Marques, porém, criticou com veemência Heber Roberto Lopes, por sua atuação no jogo Inter x Vasco, na última rodada. Embora não tenha anunciado nenhuma punição a Lopes, deixou-o fora do sorteio que definiu os trios de arbitragem do fim de semana. Fez o mesmo com Spíndola.

Agencia Estado,

10 de julho de 2003 | 19h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.