JD Diório/AE-21/06/2012
JD Diório/AE-21/06/2012

STJD julga na terça-feira jogadores de Palmeiras e Grêmio

Cinco atletas vão ao tribunal por terem se envolvido em confusão após jogo entre as equipes pela Copa do Brasil

estadão.com.br,

29 de junho de 2012 | 21h48

SÃO PAULO - Na próxima terça-feira, dia 3 de julho, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) vai julgar três jogadores do Grêmio, dois do Palmeiras, além do próprio clube paulista, em sessão da Segunda Comissão Disciplinar, a partir das 18h. O motivo é a confusão no fim da partida semifinal entre as equipes pela Copa do Brasil, no último dia 21, na Arena Barueri.

O jogo já estava no final quando começou a confusão. Aos 37 minutos do segundo tempo, Barcos, do Palmeiras, puxou um contra ataque e só foi parado por Rondinelly, que deu um carrinho por trás e foi expulso. Na sequência do lance, o gremista Edílson deu um soco no rosto do zagueiro Henrique e também recebeu o cartão ver melho. Depois de seis minutos de paralisação, o árbitro Ricardo Marques Ribeiro resolveu expulsar o palmeirense antes de reiniciar a partida.

Após a partida teve outra confusão aconteceu. Na zona mista do vestíario o palmeirense Luan, que não foi relacionado por conta de lesão, e o gremista Werley discutiram. O árbitrro não chegou a relatar o incidente na súmula, mas a procuradoria do STJD denunciou os atletas com basa em prova de vídeo.

Os gremistas Rondinelly e Werley podem ser suspenso por até seis partidas e Edilson, até 12 partidas. Henrique, do Palmeiras, pode ficar de fora até por seis jogos.

Segundo o STJD, o Palmeiras será julgado "por deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir desordens em sua praça de desporto” e pode receber multa que varia entre R$ 100 e R$ 100 mil.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa do BrasilPalmeirasGrêmio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.