Alex Silva/ Estadão
Alex Silva/ Estadão

STJD julga nesta quinta processo do Palmeiras sobre interferência externa

Órgão avalia pedido clube sobre impugnação da final do Campeonato Paulista, realizada em abril

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

15 Agosto 2018 | 22h15

A final do Campeonato Paulista de 2018 vai recomeçar nesta quinta-feira, às 11h, no Rio de Janeiro. Quatro meses depois da partida, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) vai julgar o processo em que o Palmeiras pede a impugnação do jogo com o Corinthians por alegar que houve interferência externa na decisão do árbitro Marcelo Aparecido de Souza em cancelar a marcação de um pênalti de Ralf em Dudu.

O pedido do Palmeiras é para que o STJD assuma a condução de análise do processo, em vez do Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD). O clube considera que o órgão estadual não tem interesse em cuidar do caso. A final foi disputada em 8 de abril e desde então a diretoria tem se movimentado nos bastidores para questionar a atuação da arbitragem.

O caso vai ao STJD pois o Palmeiras questiona a resposta do TJD de que teria perdido o prazo de 48 horas após a final para pedir a impugnação. O clube questiona essa decisão. No Rio será decidido se a solicitação alviverde foi feita nos prazos legais ou não. Com base nisso, será analisado se o caso retorna para a análise no tribunal estadual ou se é o STJD quem opta por julgar diretamente.

O Palmeiras defende que a equipe de arbitragem que trabalhou na final recebeu informações externas para cancelar a marcação do pênalti. Na ocasião o jogo ficou parado por oito minutos. A diretoria contratou ainda os serviços da Kroll, empresa americana especializada em investigação, e encarregada de procurar provas para comprovar a interferência externa.

A investigação sobre a interferência externa na final passou a ter participação do Ministério Público e também da Polícia Civil. O clube tenta levar o assunto à esfera criminal por defender que houve crime de falso testemunho nos depoimentos prestados ao TJD, em abril, pelos árbitros do jogo e dirigentes da Federação Paulista de Futebol (FPF). A entidade nega a existência de irregularidades.

Batalha do Palmeiras para anular a final:

08/04 - Realização da final do Campeonato Paulista

11/04 - O TJD abriu inquérito

25/04 - O clube apresentou pedido de impugnação da partida final

04/05 - Presidente do TJD-SP, Antônio Olim, indeferiu impugnação

09/05 - O Palmeiras entrou com recurso voluntário e com Mandado de Garantia no STJD

17/05 – Presidente do STJD destacou que o caso não estava esgotado no TJD-SP

11/06 – TJD-SP julgou e negou pedido do Palmeiras

19/07 – Palmeiras entrou com recurso no STJD

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.