STJD manda repetir jogos ?contaminados?

Os 11 jogos do Campeonato Brasileiro apitados pelo árbitro Edílson Pereira de Carvalho - que confessou participação num esquema de manipulação de resultados - terão de ser disputados novamente. A decisão foi anunciada na manhã deste domingo pelo presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Luiz Zveiter, em entrevista coletiva concedida em sua residência em Niterói.Zveiter anunciou ainda que as novas partidas devem ser disputadas com os portões abertos e que os atletas suspensos e, por isso, impedidos de participar anteriormente dos jogos em discussão, continuam sem condições de voltar a campo para a repetição dos confrontos. No entanto, aqueles contratados depois dos jogos manipulados e que não estiverem suspensos automaticamente poderão atuar. As rodadas especiais já foram escolhidas pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Oito jogos serão realizados nos dias 12 e 19 de outubro. Os outros três serão remarcados de acordo com o andamento da Copa Sul-Americana. Com a decisão, a pontuação dos clubes no Brasileiro sofre alteração imediata.Zveiter abriu mão do trabalho de uma comissão formada por ex-árbitros, cuja função era analisar as partidas dirigidas por Edilson. Na noite de sexta-feira, o presidente do STJD já tinha ouvido os três integrantes de uma outra comissão, encarregados de acompanhar a investigação do esquema de corrupção com a Polícia Federal e o Ministério Público de São Paulo. Marcus Basílio, Luiz Geraldo Lanfredi e Antônio Gaspar, do quadro de auditores do tribunal, informaram a Zveiter sobre a ?contaminação? de todas as partidas apitadas por Edilson no campeonato nacional.CONSEQÜÊNCIAS - O escândalo já provocou a demissão do presidente da Comissão Nacional de Arbitragem da CBF, Armando Marques. Ele se indispôs com a direção da entidade por não vir a público para explicar as denúncias de manipulação de resultados. O esquema, comprovado a partir de grampos telefônicos, tem a participação direta dos árbitros Edilson Pereira de Carvalho e Paulo José Danelon, que trabalhou este ano no Campeonato Paulista. Os dois estariam ligados a um grupo de apostadores, donos de bingos de São Paulo e Piracicaba, que desde o início deste ano estaria fraudando resultados para lucrar com apostas realizadas em sites ilegais. Edilson foi preso na madrugada de sábado em operação da Polícia Federal (PF) e confirmou seu envolvimento no esquema nos 11 jogos em que apitou no atual Brasileiro. Solto cinco dias depois, chegou a ser agredido por um torcedor que dizia ser corintiano ao deixar a sede da PF. O árbitro Paulo José Danelon, por sua vez, também manipulou resultados de quatro partidas do Campeonato Paulista de 2005: Corinthians 3 x 0 Ponte Preta, Guarani 1 x 1 Atlético Sorocaba, Portuguesa Santista 0 x 1 União São João e Santos 0 x 0 Guarani. Ele, no entanto, responderá o processo em liberdade. A fraude também já levou a prisão os empresários Nagib Fayab, o Gibão, libertado na mesma noite de Edilson, e Vanderlei Pololi, que permanece detido em uma cela individual na sede da PF, em São Paulo. Veja os jogos apitados por Edílson Pereira de Carvalho que foram anulados e que serão disputados novamente: 08/05 - Vasco 0 x 1 Botafogo02/07 - Ponte Preta 1 x 0 São Paulo16/07 - Paysandu 1 x 2 Cruzeiro24/07 - Juventude 1 x 4 Figueirense31/07 - Santos 4 x 2 Corinthians07/08 - Vasco 2 x 1 Figueirense10/08 - Cruzeiro 4 x 1 Botafogo14/08 - Juventude 2 x 0 Fluminense21/08 - Internacional 3 x 2 Coritiba07/09 - São Paulo 3 x 2 Corinthians10/09 - Fluminense 3 x 0 Brasiliense

Agencia Estado,

02 de outubro de 2005 | 11h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.