Gustavo Oliveira/Londrina
Gustavo Oliveira/Londrina

STJD não julga ação do Londrina contra o Figueirense e caso vai para Procuradoria

Clubes travam batalha jurídica pela permanência na Série B do Campeonato Brasileiro

Redação, Estadão Conteúdo

09 de janeiro de 2020 | 16h14

A ação do Londrina contra o Figueirense não foi julgada pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Os desembargadores acreditam que o caso precise primeiro passar pela Procuradoria do órgão. Em julgamento realizado nesta quinta-feira, os dois clubes apresentaram os motivos de acusação e defesa. No entanto, o relator Mauro Marcelo de Lima e Silva disse que as acusações precisam ser analisadas pela Procuradoria e foi acompanhado pelos seus colegas.

Com essa decisão, a ação do Londrina não é arquivada. No entanto, ainda não tem data para que o caso seja analisado pela Procuradoria do STJD.

Por meio de uma nota oficial publicada em seu site logo após o julgamento, o Figueirense pede que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) homologue a classificação final da Série B do Campeonato Brasileiro de 2019, mantendo assim o clube catarinense na segunda divisão nacional. Na mesma nota, o Figueirense acusa o Londrina de ter oferecido vantagens aos jogadores e ex-jogadores do clube em troca de declarações que poderiam ajudar os paranaenses no caso.

“Com o resultado do julgamento de hoje, fica revogada a liminar anterior dada pelo tribunal, que impedia a CBF de homologar o resultado da competição e, portanto, fica declarado o rebaixamento do Londrina e a permanência do Figueirense na Série B”, afirma o advogado Eduardo Carlezzo, da Carlezzo Advogados, que representa o Figueirense nos casos em instância nacional.

Com isso, a classificação da Série B continua a mesma. O Figueirense terminou o campeonato em 16º, com 41 pontos. O Londrina fica em 17º, com 39 pontos, e está rebaixado com São Bento, Criciúma e Vila Nova. “Estamos tranquilos que não foi cometida nenhuma ilegalidade. A apuração que eventualmente for feita pela Procuradoria terá outro sentido e não deverá ter relação com o mérito dos casos já julgados do W.O. e do atraso salarial”, completa Carlezzo.

ENTENDA O CASO

As acusações tratam do W.O. do Figueirense, que não entrou em campo em partida contra o Cuiabá, na Arena Pantanal, em Cuiabá, pela 17ª rodada. Segundo o Londrina, o W.O. foi uma irregularidade na competição, já que o time catarinense perdeu apenas os pontos deste duelo, que foi decretado como vitória do clube do Mato Grosso por 3 a 0.

Na visão do Londrina, o Figueirense deveria ter o jogo considerado como uma derrota e ainda perder mais pontos. O clube catarinense terminou o campeonato na 16.ª colocação com 41 pontos, dois a mais que o paranaense, 17.º colocado e que abriu a zona de rebaixamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.