STJD nega efeito suspensivo para o atacante Romário

Jogador, que abandonou o Vasco, terá de cumprir na íntegra a suspensão de 120 dias por doping

07 de fevereiro de 2008 | 18h09

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) negou nesta quinta-feira mais uma vez o pedido de efeito suspensivo do atacante e técnico Romário, pego no exame antidoping durante a disputa do Campeonato Brasileiro em 2007.   Veja também:  Romário agiu certo ao não aceitar interferência, para colunistas    "Mantenho o indeferimento, negando o pedido de concessão de efeito suspensivo ao recurso interposto", disse o Presidente do STJD, Rubens Approbato, que rejeitou o pedido pela terceira vez.   Desta forma, Romário, que deixou o Vasco após desentendimento com Eurico Miranda, terá de cumprir na integra a suspensão de 120 dias - ele foi pego no jogo contra o Palmeiras, pelo Campeonato Brasileiro, pelo uso de finasterida, substância utilizada para evitar a queda de cabelo.   Romário, no entanto, ainda tem uma chance de se livrar da punição. Ele aguarda o julgamento do seu recurso, marcado para o dia 14 de fevereiro.   Na noite de quarta-feira, Romário deixou o comando do Vasco após desentendimento com Eurico Miranda - o presidente do clube tentou interferir na escalação do time no confronto contra o Friburguense, e o 'Baixinho' não aceitou.Já sobre seu futuro, Romário pode parar no Flamengo, que recentemente tentou a contratação de Ronaldo. O vice-presidente de futebol do Flamengo, Kléber Leite, vai apresentar um projeto para Romário que vai além do jogo de despedida com a camisa rubro-negra. "É um projeto relacionado à comunicação do Flamengo e que passa pelo futebol também", disse, sem entrar em detalhes. "Romário merece uma despedida  digna." (com Bruno Lousada)

Tudo o que sabemos sobre:
RomárioSTJDVasco da Gamadoping

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.