Reprodução
Reprodução

STJD pede informações sobre caso que pode beneficiar Inter

CBF e Vitória terão que 'explicar' situação do zagueiro Victor Ramos

Estadão Conteúdo

05 de dezembro de 2016 | 20h34

Após ser solicitado pelo Internacional na semana passada, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pediu nesta segunda-feira informações ao Departamento de Registros da CBF e ao Vitória sobre o caso Victor Ramos, que pode impedir o rebaixamento do time gaúcho no "tapetão".

A Procuradoria do STJD quer que tanto a CBF quanto o clube baiano expliquem como está a apuração do caso, que teve início ainda no primeiro semestre. A Fifa chegou a iniciar procedimento para investigar se o zagueiro Victor Ramos jogou de forma irregular pelo Vitória no Campeonato Baiano.

O Inter, agora, quer saber se há possível infração também na disputa do Brasileirão. Neste caso, o Vitória poderia ser punido com perda de pontos na tabela, o que beneficiaria o clube gaúcho. Desta forma, o Inter poderia até escapar do provável rebaixamento.

A discussão sobre a situação de Victor Ramos começou ainda em março, durante o Campeonato Baiano. O Bahia questionava o fato de o zagueiro, depois de ter seu vínculo encerrado com o Palmeiras, no fim do ano passado, não foi novamente registrado pelo Monterrey, do México. Em março, ele foi registrado pelo Vitória sem antes passar pelo clube dono dos seus direitos econômicos.

Isso fez com que a transferência fosse nacional e não internacional. À época, a Federação Baiana de Futebol (FBF) questionou a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) sobre a situação de Victor Ramos e recebeu aval para registrá-lo.

"A inscrição de Victor Ramos se deu com base em contrato regularmente registrado em 16 de março, em informação da CBF posteriormente ratificada por e-mail, no sentido de que se tratou de transferência nacional, pois o ITE (Certificado de Transferência Internacional, na sigla em inglês) já estava no Brasil", alegou a FBF em comunicado em 28 de março.

Diante deste histórico, o STJD cobrou esclarecimentos sobre as partes envolvidas. "Diante disso, em juízo preliminar, requer a Procuradoria seja oficiado o Departamento de Registros da CBF e o Esporte Clube Vitória da Bahia (BA) para se manifestarem sobre eventual procedimento instaurado pelo Departamento de Integridade da Fifa, a fase que se encontra e se houve alguma decisão, no prazo máximo de 02(dois) dias."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.