Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube

STJD pede para CBF não homologar rebaixamento do Londrina para a Série C

Clube paranaense entrou com pedido para que Figueirense perca pontos, o que poderia salvá-lo da queda

Redação, Estadão Conteúdo

11 de dezembro de 2019 | 19h52

A maioria dos clubes já está pensando na temporada 2020, mas uma decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pode mudar esse panorama para dois clubes. O presidente do tribunal, Paulo César Salomão Filho, deferiu parcialmente nesta quarta-feira a liminar do Londrina contra o Figueirense e pediu à CBF que não confirme o rebaixamento do clube paranaense para a Série C do Campeonato Brasileiro.

A medida é cautelar e visa resguardar os direitos de todos os envolvidos. Em despacho, Salomão Filho determinou que se oficie a CBF para que não seja homologado o resultado da Série B, ao menos para os clubes envolvidos na Medida Inominada. Além disso, pediu para que a entidade se abstenha de declarar o rebaixamento do Londrina até decisão final do STJD. Ainda não há data para julgamento, mas o caso poderá entrar em pauta ainda em 2019.

Segundo o Londrina, que terminou a competição dentro da zona de rebaixamento, ao lado de Criciúma, São Bento e Vila Nova-GO, o Figueirense deveria perder pontos e é quem cairia em seu lugar. As acusações tratam do W.O. do Figueirense, que não entrou em campo em partida contra o Cuiabá, pela 17ª rodada, na Arena Pantanal. Na ocasião, os jogadores fizeram um protesto por atrasos de salários.

Segundo a posição dos paranaenses, o W.O. foi uma irregularidade na competição já que o Figueirense perdeu apenas os três pontos dessa partida, que foi decretada como vitória do Cuiabá por 3 a 0. A alegação é de que a punição deveria ser mais ampla, indo além da derrota, bem como a perda de mais pontos ou até mesmo a exclusão do campeonato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.