Alexandre Vidal / Flamengo
Alexandre Vidal / Flamengo

STJD recusa pedido do Athletico-PR por punições a Gabigol, Arrascaeta e Flamengo

Jogadores não foram punidos durante a partida no Maracanã e causaram revolta do clube paranaense na Copa do Brasil

Redação, Estadão Conteúdo

29 de julho de 2022 | 20h32

A notícia de infração do Athletico-PR que pedia punições mais duras para Flamengo, Gabigol e Arrascaeta, em razão dos lances das quartas de final da Copa do Brasil, foi arquivado após decisão da Procuradoria do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) nesta sexta-feira. Na avaliação do órgão, os cartões amarelos recebidos pelos dois jogadores não permitem afirmar "que o lance tenha escapado da arbitragem".

O Athletico considera que o árbitro Luiz Flávio de Oliveira, atualmente afastado pela CBF por causa da atuação na partida em questão, foi condescendente. O clube reclama de um chute dado por Gabigol em Fernandinho e de um carrinho por trás de Arrascaeta em Erick. "É para expulsar 30 dias seguidos! Não quebrou o pé do Erick por milagre", comentou o técnico Felipão depois da partida.

Para fazer a denúncia, o departamento jurídico athleticano se baseou no artigo 58-B do Código Brasileiros de Justiça Desportiva, que trata de "denúncias baseadas em prova de vídeo por notório equívoco da aplicação da decisão do árbitro". A intenção era enquadrar o lance de Gabigol no artigo 254-A, por agressão, e o de Arrascaeta no artigo 254, por praticar jogada violenta.

"Também nestes autos não está presente nenhuma das hipóteses autorizadoras elencadas no Parágrafo Único do Art. 58-B do CBJD, eis que ainda que discutível a gravidade das infrações, não há dúvida de que não escaparam da atenção da equipe de arbitragem e nem se tratam de caso de notório equívoco na aplicação das decisões disciplinares. Neste sentido, o pleito merece ser indeferido e consequentemente arquivada a presente Notícia de Infração", respondeu a Procuradoria.

RECLAMAÇÕES DO FLAMENGO E AFASTAMENTO DE ÁRBITROS

A atuação não gerou indignação apenas do Athletico. O Flamengo reclama de um suposto pênalti de Fernandinho sobre Léo Pereira, e da expulsão de David Luiz já no fim da partida. Na súmula, o juiz justificou o cartão vermelho porque o zagueiro fez "um movimento de tapa no ar com a palma da mão aberta, em minha direção", além de ofendê-lo.

Depois de toda a polêmica, a CBF anunciou que incluiu os árbitros Luiz Flávio de Oliveira e Wagner Reway, responsável pelo VAR no jogo de quarta-feira, no Programa de Assistência ao Desempenho do Árbitro (PADA) - o que, na prática, significa que eles ficarão afastados de jogos do Brasileirão e da Copa do Brasil por tempo indeterminado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.