STJD reduz punição de Ponte Preta e Guarani na Série B

Em julgamento de última instância, na tarde desta quinta-feira, o Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) reduziu a pena de Ponte Preta e Guarani pelos incidentes ocorridos no dérbi de Campinas, realizado no dia 16 de julho, no Estádio Moisés Lucarelli. Pela decisão, as duas equipes terão que cumprir cinco mandos de campo na Série B, ao invés dos dez jogos inicialmente aplicados.

AE, Agência Estado

18 de agosto de 2011 | 18h45

O julgamento desta quinta-feira durou aproximadamente duas horas. O relator Francisco Antunes Maciel Mussnich votou pela redução da pena para cinco perdas de mando. O voto dele foi acompanhado por Caio César Rocha, Alberto Pulga e Alexandre Quadros, além do presidente do STJD, Rubens Approbato - assim, apenas os auditores Virgílio Val e José Mauro Couto tivera opinião diferente.

Com isso, a Ponte Preta irá voltar a jogar no Estádio Moisés Lucarelli apenas na 29ª rodada da Série B, contra o Sport - os jogos diante de Náutico, Vila Nova, São Caetano, Duque de Caxias e Salgueiro serão disputados na Arena Fonte Luminosa, em Araraquara.

Como já cumpriu um mando de campo pela punição, no empate com o Paraná, o Guarani ainda irá mandar os jogos contra Salgueiro, Criciúma, Vitória e Portuguesa em Araraquara, voltando ao Estádio Brinco de Ouro, em Campinas, na 26ª rodada da Série B, diante do Bragantino.

Além da redução no número de mandos de campo, o STJD diminuiu a multa aplicada aos dois clubes. Inicialmente, a Ponte Preta teria que pagar R$ 50 mil pelos incidentes, enquanto o Guarani deveria desembolsar R$ 100 mil. Agora, serão os mesmos R$ 15 mil para cada um.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.