STJD tem agenda cheia nesta sexta

A pauta desta sexta-feira do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) está agitada e vai mexer com o interesse de vários clubes da Série A do Campeonato Brasileiro, a começar pelo líder Atlético-PR. A equipe paranaense deve perder o mando de campo por dois ou três jogos, devido a distúrbios na partida contra o Atlético-MG, em 2 de outubro, no Arena da Baixada, quando vários objetos foram atirados em campo, a partir do setor social do clube mandante. O Atlético-PR pode ter de realizar fora de Curitiba as partidas com Internacional (30 de outubro), Criciúma (14 de novembro) e São Caetano (5 de dezembro). Já o Atlético-MG, devido a incidentes até mais graves no jogo com o São Paulo, disputado dia 17, no Independência, também será julgado amanhã e pode receber a mesma pena do Atlético-PR. Neste caso, o clube mineiro teria de atuar a pelo mesno 150 quilômetros de Belo Horizonte contra Criciúma (31 de outubro), Flamengo (14 de novembro) e Paysandu (5 de dezembro). No confronto com o São Paulo, um torcedor do Atlético-MG atingiu o queixo do zagueiro Fabão com uma pedrada. O relator do processo disciplinar do Atlético-PR é o auditor Luiz Tavares Corrêa Meyer, conhecido no tribunal pelo rigor com que pune os clubes infratores. O Atlético-PR está denunciado no Artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, cujo texto trata da omissão de providências "capazes de prevenir ou reprimir desordens em sua praça de desporto." O Atlético-MG também foi indiciado com base no Artigo 213, assim como Botafogo e Grêmio, outros clubes que podem perder mando de campo a partir do resultado da sessão de amanhã da 4ª Comissão Disciplinar o STJD. Na partida Botafogo x São Caetano, em 7 de outubro, uma garrafa plástica cheia de água foi arremessada em campo e o árbitro relatou o fato na súmula. Por isso, o Botafogo também deve perder o mando de campo. O clube tem a seu favor a rápida ação de seguranças e policiais de plantão no Caio Martins, naquele dia. Eles detiveram o torcedor que jogou a garrafa no gramado. De acordo com auditores do STJD, isso pode atenuar a pena do Botafogo. Se for punido com a perda de apenas uma partida, a equipe carioca vai ter de levar o jogo com o Cruzeiro, em 30 de outubro, para outra praça, distante pelo menos 150 quilômetros de Niterói. Sábado, contra o Vitória, o Botafogo atuará em Juiz de Fora, Minas Gerais, já por conta de uma punição idêntica, provocada por incidentes em partida contra o Paraná, quando uma baqueta foi lançada em campo. Para completar a ?rodada? no tribunal, o Grêmio será réu num processo disciplinar movido pela Procuradoria do STJD, a partir de um vídeo do jogo com o Fluminense, em 6 de outubro, em que as imagens mostram objetos sendo arremessados no gramado por torcedores vestidos com a camisa da equipe gaúcha. O Grêmio pode perder o mando de campo contra o Palmeiras (em 30 de outubro), Ponte Preta (13 de novembro) e Atlético-PR (em 28 de novembro). A sessão no STJD, no centro do Rio, vai começar às 14 horas e há nove processos em julgamento - os outros envolvem clubes da Segunda e Terceira Divisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.