Felipe Rau
Felipe Rau

STJD terá policiamento reforçado em julgamento de anulação do Fla-Flu

Auditores temem protestos das torcidas dos dois times

O Estado de S.Paulo

19 Outubro 2016 | 14h14

Pelo menos 10 policias vão reforçar a segurança do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para o julgamento do pedido de anulação do clássico entre Fluminense e Flamengo, em jogo válido pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2016.

A medida é uma precaução dos auditores, que temem protestos na sede da entidade, localizada em uma das regiões mais movimentadas da cidade do Rio de Janeiro. Em 2013, ano que a Portuguesa acabou rebaixada pela escalação irregular no meia Heverton e acabou salvando o Fluminense da queda, sete viaturas e 16 policias do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe) protegeram a entrada do tribunal.

O STJD irá julgar o possível uso de interferência externa no momento da anulação do gol do zagueiro Henrique, que decretaria o empate em 2 a 2 na partida. Na última segunda-feira, o presidente do tribunal, Ronaldo Piacenti, abriu processo e confirmou que até uma decisão ser tomada, o placar de 2 a 1 para o rubro-negro não pode ser contabilizado na tabela da competição. 

Através de seu site oficial, o Fluminense justificou o motivo de pedir a anulação da partida. "O Fluminense Football Club vem a público confirmar que depois de analisados todos os vídeos, notícias e evidências no lance do gol anulado do zagueiro Henrique, no Fla-Flu, do último dia 13, em Volta Redonda, entende que ficou comprovada a interferência externa. Em razão desse fato, tomou as medidas cabíveis para que o caso seja analisado pelo STJD", informou o clube, em nota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.