Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

STJD vai denunciar Rogério Ceni por críticas a árbitro

Goleiro do São Paulo pode ser punido por reclamar de pênalti

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

20 de outubro de 2015 | 16h08

O goleiro Rogério Ceni deve ter um problema na sua contagem regressiva para encerrar a carreira. O jogador do São Paulo será denunciado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por ter criticado o árbitro Dewson Freitas da Silva após o empate em 2 a 2 com o Vasco, no Morumbi, no último domingo, pelo Brasileirão. O procurador do órgão, Paulo Schmitt, confirmou que até máximo esta quarta-feira vai oferecer a denúncia.

"Não há tolerância da Procuradoria para com ofensas, xingamentos, ilações e ameaças", disse o Schmitt. No domingo, Ceni reclamou da marcação de um pênalti a favor do Vasco, em lance que causou a expulsão do lateral Matheus Reis. "Esse pênalti não foi marcado dentro de campo. Esse pênalti já tinha sido marcado antes de começar o jogo, só bastava a circunstância. E apareceu uma circunstância muito duvidosa. É uma pena, pois ele é um bom árbitro", afirmou o goleiro.

Ceni disse que se tratou de um pênalti de "bastidor" e fez referência às reclamações dias antes vinds do presidente do Vasco, Eurico Miranda. O dirigente havia dito que no jogo contra a Chapecoense, no Maracanã, o presidente da Federação Catarinense de Futebol, Delfim Peixoto, conversou com os árbitros e influenciou nas decisões em campo no jogo que acabou em 1 a 1.

"Talvez o presidente do Vasco tenha razão. Ele falou coisas graves, fez acusações e ninguém falou nada, ninguém se manifestou da CBF ou da Comissão de Arbitragem", disse Ceni, que tem mais sete jogos pelo Brasileirão e pelo menos mais dois na Copa do Brasil para encerrar a carreira. A denúncia deve ser enquadrada no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que trata do desrespeito à arbitragem. Nesse caso a pena varia de 15 até 180 dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.