Stoichkov diz que seleções da Copa não devem temer o Brasil

O ex-jogador e atual treinador da seleção da Bulgária, Hristo Stoichkov, polemizou a declarar, neste sábado, que a seleção brasileira não é a franca favorita para conquistar a Copa do Mundo da Alemanha, que começará a ser disputada na próxima sexta-feira. A informação foi divulgada pelo jornal local "24 Chasa"."Não entendo porquê todos estão com tanto medo do Brasil. É verdade que eles possuem uma boa equipe, mas temos que recordar o que aconteceu com a Argentina e a França no Mundial passado", disse Stoichkov, lembrando a eliminação prematura das duas equipes na primeira fase do torneio. "O Brasil não terá facilidades no Grupo F. O treinador do Japão, Zico, os conhece perfeitamente e a Croácia empatou com eles (1 a 1) há alguns meses (em agosto de 2005)", completou."Apesar disso, penso que o Brasil terá sorte e que se classificará (às oitavas-de-final). Mas a partir desse momento, se encontrará com seleções mais fortes e ficará mais complicado para eles", acrescentou o ex-jogador, que foi artilheiro da Copa do Mundo dos Estados Unidos, em 1994, ao lado do russo Oleg Salenko, com seis gols.Segundo Stoichkov, a Costa do Marfim, estreante em Copas, será uma das surpresas no Mundial e que a Argentina e Holanda "não são melhores" que a equipe africana."Costa do Marfim tem alguns jogadores de excelente qualidade e creio que irão se classificar com facilidade no Grupo C", finalizou o búlgaro, que defendeu o Barcelona na década de 90.Vice-campeã da Copa da África no início deste ano, a seleção conta com o atacante Didier Drogba (Chelsea), o meia Bonaventure Kalou (Paris Saint-Germain), o zagueiro Abib Kolo Touré e o lateral Emmanuel Eboué, ambos do Arsenal. A Costa do Marfim fará a sua primeira partida no Mundial de 2006 contra os argentinos, no dia 10, em Hamburgo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.