Luisa Gonzalez/Reuters
Luisa Gonzalez/Reuters

Suárez critica Copa América em meio à pandemia: 'tem que priorizar a saúde'

Torneio será realizado na Argentina, que vive momento ruim com recorde de novos casos

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de maio de 2021 | 18h35

Luis Suárez, atacante do Atlético de Madrid e da seleção uruguaia, está surpreso que os planos de realizar a Copa América ainda estejam de pé, apesar da situação ruim da pandemia de covid-19 na América do Sul. Concentrado para jogos das Eliminatórias, o centroavante comentou a situação.

"Me chama muito a atenção que a Copa América aconteça mesmo na situação complicada que estamos vivendo. Temos que dar prioridades para a saúde dos seres humanos", afirmou Suárez, em entrevista coletiva.

A Copa América já sofreu um revés: teve que desistir de uma das sedes, a Colômbia, por causa dos protestos massivos e violentos pelos quais o país passa. Assim, a organização ficou somente com a Argentina que, por sua vez, vive um momento complicado com a covid-19. O torneio está previsto para durar de 13 de junho a 9 de julho.

Na última quinta (27/5), a Argentina registrou o recorde em número de novos casos em um único dia, 41.080. O país confirmou, até agora, 3,6 milhões de casos e 76.135 mortes, e o governo voltou a adotar lockdown parcial para conter o espalhamento dos casos.

Sobre os jogos das Eliminatórias, Suárez comentou sobre a ausência de Cavani, que ficou fora por opção do técnico Óscar Tabárez. "A ausência de Edinson na qualificação é uma perda importante e vamos ver a decisão do Maestro (Tabárez) para ver quem joga no seu lugar", opinou. O Uruguai enfrenta o Paraguai, em casa, e a Venezuela, fora, nas próximas rodadas das classificatórias para a Copa do Mundo de 2022.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.