Suárez diz que deve ficar no Liverpool pela torcida

Um dos nomes mais comentados dessa janela para transferências do futebol europeu, Luis Suárez começa a dar mostras de que vai mesmo permanecer no Liverpool. Depois de se revoltar contra a diretoria do clube, que não queria negociá-lo, o atacante uruguaio voltou atrás e garantiu que no momento deseja permanecer no clube inglês pelo "carinho da torcida".

AE-AP, Agência Estado

14 de agosto de 2013 | 09h28

"Neste momento, devido a todo o carinho da torcida, ficaria no Liverpool", afirmou Suárez em entrevista ao jornal uruguaio El Observador, minimizando o assédio de clubes como Arsenal, que tinha no atacante o grande sonho para reforçar a equipe nesta temporada.

Com esta declaração, Suárez coloca panos quentes em sua relação com o Liverpool após uma semana conturbada. Há alguns dias, o jogador foi à imprensa inglesa e revelou publicamente seu desejo de deixar o clube. Na ocasião, ele disparou contra a direção, da qual teria ouvido a promessa de que seria negociado com outra equipe caso o Liverpool não se classificasse para nenhuma competição europeia - o que de fato acabou acontecendo.

Suárez garantiu inclusive que havia uma cláusula em seu contrato que garantia esta negociação e ameaçou levar o caso à Premier League (liga que organiza o Campeonato Inglês). O atacante foi ainda mais longe e disparou também contra o técnico da equipe, Brendan Rodgers. "Falei com ele (Rodgers) várias vezes e ele me disse: ''fique mais uma temporada e eu vou minha palavra que, se não nos classificarmos, vou pessoalmente cuidar para que você saia''", chegou a afirmar o jogador.

Apesar da indicação de que deve permanecer no Liverpool, Suárez não deve ter vida fácil. Irritado com as declarações do atacante, Brendan Rodgers afirmou que o uruguaio terá que pedir desculpas aos colegas de elenco e ao clube antes de ser aceito de volta.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolLiverpoolLuis Suárez

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.