Reprodução/Barcelona
Reprodução/Barcelona

Suárez explica saída e chora em adeus ao Barcelona: 'Sonho que virou realidade'

Atacante uruguaio dá sua última entrevista no clube catalão e irá defender o Atlético de Madrid

Redação, Estadão Conteúdo

24 de setembro de 2020 | 09h56

Chegou ao fim a relação entre Luis Suárez e o Barcelona. Seis anos depois de sua contratação, o centroavante uruguaio de 33 anos disse adeus ao Camp Nou nesta quinta-feira em uma entrevista coletiva cheia de emoção. Novo jogador do Atlético de Madrid, o jogador chorou ao falar sobre a sua passagem pelo clube catalão.

"Foi um sonho que virou realidade, mas nunca imaginei chegar a estes números. Acho que devemos sempre dar o nosso melhor porque nunca sabe quantos anos podemos durar. Estou mais do que orgulhoso e satisfeito com os anos espetaculares e maravilhosos que passei no Barcelona", disse Suárez, que se emocionou depois de ouvir as palavras de agradecimento do presidente Josep Maria Bartomeu.

O uruguaio participou, ao todo, de 283 jogos e marcou 198 gols pelo Barcelona. Ele é o terceiro maior artilheiro da história do clube. Além disso, conquistou quatro edições do Campeonato Espanhol, quatro da Copa do Rei, duas da Supercopa da Espanha, uma da Liga dos Campeões da Europa, uma do Mundial de Clubes da Fifa e uma da Supercopa da Europa.

"Levo daqui muitos momentos na memória. Muitos troféus e alguns maus momentos também, mas prefiro me lembrar da primeira LaLiga (Campeonato Espanhol), de chegar à Champions (Liga dos Campeões), de fazer um gol, de jogar com jogadores maravilhosos que costumava ver no PlayStation. Depois, a despedida... Cada jogador tem a sua maneira de se despedir e de viver. Ter os meus colegas e a minha família é o que levo comigo", afirmou Suárez.

O centroavante indicou que a sua saída tem como motivo a opção do técnico holandês Ronald Koeman, contratado para esta temporada. "Por mais que se tenha contrato, os clubes e os jogadores precisam de trocas. Neste caso foi que o treinador não contava comigo. Saio sabendo que cumpri as expectativas, como terceiro melhor artilheiro da história e feliz por deixar uma bela marca para que se lembrem de mim por tudo que fiz nos momentos bons e maus. Também tive momentos maus, temos que ser autocríticos", admitiu.

"Quando o treinador me comunicou que não contava comigo, eu já estava à espera porque já tinha sido dito antes. Mas posso aceitar, tenho um contrato e vou continuar treinando até conseguir uma solução como profissional que sou. O treinador não teve problemas", acrescentou Suárez, lembrando depois do acerto com o Atlético de Madrid. "Quando o Barça me disse que não contava comigo, me colocou no mercado. Houve muitas ofertas, mas não tive dúvidas quando me ofereceram a oportunidade de ir para o Atlético de Madrid".

Questionado sobre o que o craque e amigo Lionel Messi tinha dito sobre a sua mudança de clube, Suárez admitiu que nada. "É uma coisa estranha porque vou embora, primeiro, e depois porque vou para um rival direto. Mas já nos enfrentamos entre Argentina e Uruguai. Isso não afetará o relacionamento pessoal que temos", garantiu.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.