Vincent West/Reuters
Vincent West/Reuters

Suárez não esconde mágoa com Koeman e sugere que Xavi não assuma o Barcelona

Atacante uruguaio pode se vingar do treinador holandês neste sábado, em partida pelo Campeonato Espanhol

Redação, Estadão Conteúdo

30 de setembro de 2021 | 20h53

Luis Suárez deixou o Barcelona há mais de um ano dispensado por Ronald Koeman. Neste sábado, pelo Atlético de Madrid, pode sacramentar a queda do holandês do antigo clube. Os catalães já procuram novo treinador e o uruguaio pode ter sua vingança antes que alguém assuma o cargo. Sem falar em nomes, o atacante sugeriu que o ídolo Xavi não dirija agora e revelou toda a sua mágoa com o ex-comandante.

"Koeman sentiu desprezo por mim. Como se eu tivesse 15 anos. Ele deixou claro que eu era ruim para o vestiário do Barcelona", revelou o uruguaio em entrevista ao Sport. Ainda mostrou que o holandês e o presidente Joan Laporta vivem em conflitos. "Uma guerra que prejudica os jogadores."

Laporta está convicto que Koeman não consegue mais reerguer o Barcelona. Mas adiou a saída do treinador, prevista para esta quinta-feira. Sabe que tem um jogo importante com o Atlético de Madrid no Espanhol e segurou a "dispensa", de acordo com jornalistas espanhóis.

Apenas para não deixar o clube sem comando num duelo gigante. Mas as tratativas com um substituto já estão em curso. Além do ídolo Xavi e de Andrea Pirlo, o nome de Marcelo Galhardo, do River Plate, ganhou força.

Sem saber quem vai assumir, Suárez disse para Xavi adiar o sonho de dirigir o clube do coração. "Como amante de futebol e pelo que fez como jogador, não acho que hoje, amanhã ou depois seja a hora de ele assumir o comando da equipe", disse Suárez.

O uruguaio explicou sua tese. "Xavi é inteligente e conhece as dificuldades do clube. Deve esperar pelo momento certo. Ele tem ex-companheiros no plantel com quem terá que tomar decisões e isso será difícil", disse. "Vejo-o como um treinador muito qualificado e regressar ao Camp Nou em outro contexto pode fazê-lo ser tão bom como treinador como foi como jogador."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.