Daniel Tejedor|EFE
Daniel Tejedor|EFE

Luis Suárez turbina ataque do Barcelona e ofusca Neymar

Uruguaio marca 59 gols e trio MSN chega aos 130 só nesta temporada. Neste domingo, Barça e Sevilla decidem Copa do Rey

VITOR MARQUES, O ESTADO DE S.PAULO

22 de maio de 2016 | 06h00

Em julho de 2014, o Barcelona apostou alto quando contratou Luis Suárez. Foi preciso superar o episódio da mordida em Chiellini durante a Copa, pagar R$ 225 milhões ao Liverpool e aguardar o fim da suspensão da Fifa imposta ao uruguaio.

Valeu a pena. O Barça voltou a ter um novo centroavante, como na época de Ibrahimovic, e criou um ataque que ficou conhecido como ‘Trio MSN’. Suárez foi a peça que faltava na engrenagem de uma equipe que já tinha Messi e Neymar.

O uruguaio, que une técnica e garra como poucos, potencializou o poder de fogo do time. Os números reforçam a ideia de que o Barça montou um ataque dos sonhos que atormenta seus adversários, como o deste domingo, o Sevilla, rival da decisão da Copa do Rey, no Vicente Calderón.

Nesta temporada, o trio marcou 130 gols, superando, graças a Suárez, a marca de 122 na temporada passada. “Deveria ser proibido Messi, Suárez e Neymar (jogarem) juntos”, brincou técnico argentino Jorge Sampaoli em uma recente entrevista.

Ele se referia ao talento e ao entrosamento do ataque do Barcelona. “Creio que além da humildade, há um companheirismo entre nós. Quando eu faço um gol ou quando o Neymar faz um gol, eu fico muito feliz, somos como uma equipe. E tanto eu quanto ele sabemos que o Messi é melhor do mundo e aprendemos muito com ele”, disse Suárez ao site do clube.

Suárez se transformou no artilheiro disparado do time. Ele fez 59 gols (quase o dobro de Neymar), sendo que 40 deles apenas no Campeonato Espanhol, o que lhe garantiu o título de Chuteira de Ouro.

O momento é mesmo do uruguaio. E ele já se coloca como um dos favoritos para chegar entre os três finalistas do Bola de Ouro de 2016. Em sua fase mais letal, chegou a marcar quatro gols em dois jogos consecutivos e foi o responsável pela conquista da Liga Espanhola. No Mundial de Clubes, em dezembro, Suárez fez cinco gols nos dois jogos, dois deles na final contra o River Plate.

Já Neymar fez uma temporada abaixo do esperado. Ele marcou menos gols em relação à temporada 2014-2015 (39 a 30) e viveu altos e baixos. Embora Neymar tenha sido protagonista quando Messi se machucou ano passado, o brasileiro encerra a temporada abaixo dos companheiros de ataque.

E também não param as especulações sobre o futuro do brasileiro, que tem contrato com o Barcelona até 2018, mas até agora não garante que irá renovar o vínculo com o clube catalão.

O ponto baixo do trio MSN nesta temporada foi a eliminação na Liga dos Campeões diante do Atlético de Madrid, que fará a final contra o Real Madrid no próximo sábado. Mas o Barça venceu o Liga Espanhola e a Supercopa da Europa, esta em cima do Sevilla, o rival de hoje.

Os dois times que abriram a temporada, há um ano, farão pela primeira vez uma final da Copa do Rey. A final, disputada em Madrid, também ganha contornos políticos. O Governo de Madrid havia proibido a entrada de bandeiras da Catalunha, mas um juiz garantiu aos torcedores do Barça a permissão de ir ao estádio com a bandeira catalã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.