Divulgação/Guarani
Divulgação/Guarani

Sufocado por pandemia, Guarani reduz salário de jogadores e funcionários

A ação já está em vigor e é válida até o fim da pausa do futebol por causa do novo coronavírus

Redação, Estadão Conteúdo

14 de maio de 2020 | 18h31

O Guarani não passou ileso aos impactos provocados pela pandemia do coronavírus e precisou se readequar à realidade financeira vivida no Brasil. Praticamente dois meses após a paralisação do futebol nacional, o conselho de administração do clube decidiu reduzir os salários dos atletas, membros da comissão técnica e funcionários do Brinco de Ouro da Princesa.

Com queda das receitas, o Guarani, ainda sem oficializar, decidiu pelos cortes nos vencimentos em praticamente quatro escalas: suspensão de contrato, profissionais com redução da carga de trabalho e salário em 70%, corte de 25% em determinados segmentos e ao elenco principal.

A ação já está em vigor no Guarani e é válida até o fim da pausa da modalidade esportiva - ainda não há data para reinício dos treinamentos.

Até mesmo antes da quarentena, o clube campineiro já vem sofrendo no âmbito financeiro. Apesar de ter anunciado dois novos patrocinadores - sendo um para o espaço master -, o clube de Campinas não contou com o lucro das bilheterias no Dérbi 196 e contra o São Paulo, jogo adiado pela Federação Paulista de Futebol (FPF).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.