Michael Buholzer/Reuters
Michael Buholzer/Reuters

Suíça bate recorde defensivo na Copa, mas perde para o Chile

Até sofrer o gol de Gonzalez, equipe suíça ficou 558 minutos seguidos sem ter as redes balançadas e superou a marca da Itália

ANDRÉ RIGUE, estadão.com.br

21 de junho de 2010 | 12h47

Em jogo marcado por recorde histórico da defesa da Suíça, o Chile conseguiu superar o forte paredão defensivo da equipe europeia, venceu por 1 a 0 e ficou perto de garantir a vaga para as oitavas de final da Copa do Mundo. Precisará agora de um empate contra a Espanha para confirmar a liderança e a classificação no Grupo H.

 

Veja também:

forum JOTABÊ MEDEIROS - Suíça ganha inesperada torcida

mais imagens GALERIA - Imagens da vitória chilena

especial CRONOLOGIA: Copa, dia a dia

tabela TABELA - Jogos | Classificação | Simulador |

 

Antes de sofrer o gol chileno no segundo tempo, a Suíça completou 558 minutos sem ter as redes balançadas e superou o recorde anterior da Itália, que ficou 550 minutos sem sofrer gol - de 1986 a 1990. Em 2006, a Suíça disputou quatro partidas e foi eliminada nas oitavas de final da Copa da Alemanha, após ser derrotada nos pênaltis pela Ucrânia. Neste ano, a equipe suíça entrou com ares de azarão no Mundial da África do Sul, e surpreendeu ao derrotar na estreia a favorita Espanha por 1 a 0.

 

A vitória chilena no jogo desta segunda em Port Elizabeth manteve o bom retrospecto dos países sul-americanos no Mundial. Uruguai, Argentina, Brasil, Paraguai e Chile lideram os seus grupos.

 

Os suíços, mesmo com a derrota, continuam com chances de avançar. Precisarão derrotar Honduras na última rodada por dois gols de diferença para não depender de mais nenhum resultado.

 

Apesar do recorde da defesa, não foi fácil para a Suíça encarar o Chile. Os suíços atuaram com um jogador a menos desde os 30 minutos do primeiro tempo. Behrami deixou o braço e atingiu Vidal em disputa de bola na lateral. O arbitro árabe Khalil al Ghamdi não pensou duas vezes em mostrar o cartão vermelho.

 

 Chile Chile1
Bravo; Jara, Medel , Ponce  e Isla; Carmona , Vidal (Gonzalez), Matias Fernández  (Paredes) e Alexis Sánchez; Suazo  (Valdivia ) e Beausejour
Técnico: Marcelo Bielsa
 Suíça Suíça0
Benaglio; Lichtsteiner, Von Bergen, Grichting e Ziegler; Behrami , Inler , Huggel e Gelson Fernandes (Bunjaku); Nkufo  (Derdiyok) e Frei (Barnetta )
Técnico: Ottmar Hitzfield
Gols: Gonzalez, aos 29 minutos do segundo tempo

Árbitro: Khalil al Ghamdi (Arábia Saudita)

Estádio: Nelson Mandela Bay, em Port Elizabeth (África do Sul)

Para tentar segurar o marcador, o técnico Ottmar Hitzfield tirou o atacante Frei para colocar Barnetta, num esquema mais defensivo. O Chile criou uma boa chance no primeiro tempo. Aos 40 minutos, o atacante Beausejou cruzou pela direita. Alexis Sánchez dominou no peito, mas chutou fraco.

 

Na etapa final, o técnico Marcelo Bielsa colocou Gonzalez na vaga de Vidal e Valdivia no lugar de Suazo. O Chile foi para a pressão. Aos 3 minutos do segundo tempo, Fernandez cobrou falta rasteiro para a entrada da área. Sanchez arriscou o chute e Gonzalez, impedido, desviou para o gol. O arbitro corretamente anulou a jogada.

 

Aos 11 minutos, Grichting cometeu uma falha incrível e perdeu a bola para Sanchez. O chileno invadiu a área pela diagonal e não conseguiu passar pelo goleiro Benaglio, que fez bela defesa.

 

A muralha suíça caiu aos 29 minutos da etapa final. Paredes recebeu passe de Valdivia pela direita, ganhou do goleiro e cruzou. Livre na pequena área, Gonzalez mandou de cabeça para o fundo do gol, para alegria de Marcelo Bielsa. ( Ouça o gol na Eldorado/ESPN)

 

A Suíça tentou ir para frente após sofrer o gol, mas o ataque não é o forte da equipe. Aos 44 minutos, Derdiyok recebeu passe de letra da marca do pênalti, mas mandou à direita do gol chileno.

 

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.