Suíça cria praia para seleção brasileira antes da Copa

O tratamento vip dispensado à melhor seleção de futebol do mundo, entre 22 de maio e 4 de junho, na Suíça, parece cada vez mais extravagante. Além de desfrutar de um hotel-castelo num vilarejo que é um dos cartões postais do país, os jogadores da seleção brasileira vão ter à disposição uma praia particular a poucos metros do local de hospedagem, com direito a uma passagem subterrânea do hotel cinco estrelas até a faixa da praia artificial do Lago Lucerna. A ´Copacabana´ de Weggis, nome do lugar em que a equipe iniciará a preparação para o Mundial da Alemanha, está sendo providenciada pelas empresas que intermediaram a presença da delegação na Suíça. "Vão ser despejados no lugar, à beira do lago, caminhões de areia para que a seleção se sinta em casa. A praia ficará numa área reservada, para o descanso e lazer do grupo", disse Philippe Huber, diretor-executivo da agência de marketing Kentaro Group, responsável pelas negociações para que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) escolhesse o sossego de Weggis antes da viagem dos atletas para a Alemanha, em 4 de junho. Huber esteve no Rio por dois dias e voltou ontem para a Suíça, onde acompanhará os últimos preparativos em Weggis para a recepção brasileira. Em entrevista ao Estado, disse que o único problema da nova praia suíça deve ser a temperatura da água. "O topo das montanhas ao redor do lago é envolvido por camadas de gelo. No meio do ano, com o calor, as geleiras derretem e deixam o lago um pouco frio." Para o técnico Carlos Alberto Parreira e o coordenador Zagallo, a praia poderá aproximá-los do Rio de Janeiro. "Não sou banhista, mas gosto de pegar um sol", disse Zagallo. Ao lado da praia há uma estação de barcas de onde é possível fazer vários passeios pelo Lago Lucerna. "A água do lago é bebível de tão limpa. Todos podem experimentá-la, até os atletas", disse Philippe Huber. Para oferecer esses luxos e mimos à seleção, os investimentos chegaram à cifra de US$ 1,5 milhão, incluindo a reforma do campo de treinamento que vai ser utilizado pelo time em Weggis, um dos vilarejos mais cobiçados da cidade de Lucerna. Em troca de tanta mordomia, a CBF marcou para 30 de maio, amistoso com um combinado de Lucerna, na Basiléia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.