Suíça e Honduras empatam e são eliminadas do Mundial

Depois de surpreender ao vencer a favorita Espanha na estreia, a seleção da Suíça não passou do 0 a 0 com Honduras, nesta sexta-feira, no estádio Free State, em Bloemfontein, e foi eliminada da Copa do Mundo. A equipe hondurenha somou seu primeiro ponto no Grupo H, mas também se despediu da África do Sul.

FELIPE MENDES, Agência Estado

25 de junho de 2010 | 17h37

Os suíços precisavam vencer por dois gols de diferença para chegar às oitavas de final, já que a Espanha venceu o Chile por 2 a 1, no outro jogo da chave. Contudo, a Suíça mostrou pouca criatividade e abusou dos erros no ataque, sabotando suas chances de avançar no Mundial.

Com os resultados desta sexta, a Espanha terminou em primeiro lugar no Grupo H, com os mesmos seis pontos do Chile, mas com vantagem no saldo de gols. O segundo lugar deixou os chilenos na rota da seleção brasileira nas oitavas de final - o confronto será realizado na próxima segunda, às 15h30 (de Brasília).

Os espanhóis terão pela frente a equipe de Portugal, de Cristiano Ronaldo, no dia seguinte, também às 15h30. A Suíça terminou sua campanha com quatro pontos, à frente apenas de Honduras, que conquistou apenas um.

O JOGO - Ainda com chances de classificação no Grupo H, Suíça e Honduras entraram em campo nesta sexta em busca da vitória, mas com as atenções voltadas para o jogo entre Espanha e Chile, maiores favoritos a ficar com as duas vagas da chave nas oitavas de final.

Os suíços tinham a missão menos complicada. Precisavam de uma vitória simples e de um triunfo dos espanhóis sobre os chilenos por pelo menos dois gols de diferença. Essa situação mais favorável motivou a equipe europeia, que não demorou para assumir o controle do jogo, morno no início.

Sem o atacante Frei, por opção do técnico Ottmar Hitzfeld, a Suíça valorizou a posse de bola no meio de campo e só chegou ao gol adversário aos 10 minutos. Inler recebeu na entrada da área e bateu rasteiro à esquerda do goleiro Valladares, na primeira oportunidade dos suíços.

A primeira tentativa da equipe de Honduras surgiu três minutos depois. Suazo foi lançado em profundidade, mas não alcançou a bola. A estratégia foi repetida à exaustão pelos hondurenhos durante a etapa inicial, como alternativa para furar o forte bloqueio da Suíça. No entanto, o atacante parava com frequência em posição de impedimento, o que neutralizava as investidas de Honduras.

O time europeu só começou a levar perigo na área adversária a partir dos 15 minutos. Barnetta cruzou da direita e Derdiyok, de cabeça, quase abriu o placar. A bola passou à direita do goleiro. O mesmo Barnetta arriscou de longe, aos 21, e exibiu uma defesa em dois tempos de Valladares.

Com pouca criação no meio de campo, os suíços passaram a apostar nas jogadas aéreas na área, principalmente de bola parada. Foi dessa forma que Nkufo desperdiçou as duas melhores chances de gol da Suíça antes do intervalo. Aos 28, ele cabeceou com perigo após cobrança de escanteio.

Nos instantes finais, o atacante escorou cruzamento de peito, dentro da pequena área, e perdeu outra boa chance de gol, aos 42. Dois minutos depois, ele cabeceou para fora, completando cobrança de falta na área.

Neste momento da partida, somente um gol deixaria a Suíça provisoriamente nas oitavas de final, já que a Espanha vencia o Chile por 2 a 0, placar exato para garantir a classificação dos suíços.

Apesar do marcador favorável da outra partida, a Suíça não mostrou maior motivação no início do segundo tempo. Do outro lado, a seleção de Honduras surpreendeu ao ganhar combustível, com maior velocidade no ataque.

Os hondurenhos mudaram de estratégia e abandonaram os lançamentos em profundidade. Passaram a apostar nas jogadas pelas laterais, principalmente pela direita, com Alvarez. Aos 7 minutos, ele escapou pela direita e cruzou na área para cabeçada perigosa de Suazo, que mandou à direita do gol suíço. Aos 25, foi a vez de Suazo avançar pela direita em velocidade. Ele cruzou rasteiro na área para Alvarez, sem marcação, finalizar colocado. O goleiro Benaglio se esticou e fez grande defesa.

Depois de quase ser surpreendida, a Suíça respondeu em chutes da entrada da área. Em jogada individual, Barnetta criou a primeira boa chance no segundo tempo ao recebeu na entrada da área, cortar o marcador e bater forte, levando perigo a Valladares, que evitou o gol, aos 14. Três minutos depois, Derdiyok finalizou da entrada da área, rasteiro, e também parou nas mãos do goleiro hondurenho.

Sem sucesso nas finalizações, o treinador Ottmar Hitzfeld decidiu colocar o atacante Frei em campo. Ele teve pelo menos duas boas chances para abrir o placar. Aos 27 minutos, ele recebeu passe de Barnetta dentro da área e mandou por cima do gol. Em seguida, escorou cruzamento, mas voltou a errar a meta de Valladares.

Nos minutos finais, a seleção de Honduras acelerou o jogo e levou grande perigo ao gol de Benaglio. Aos 39, Suazo chegou a mandar para as redes, mas o árbitro assinalou o impedimento. Welcome, que acabara de entrar, também arriscou de cabeça, mas não teve sucesso.

Do outro lado, Yakin mostrou empenho ao criar boas jogadas para Frei e até tentar lances individuais, mas errava o alvo ou parava nas boas defesas de Valladares, que salvou o time e garantiu o único ponto de Honduras nesta Copa do Mundo.

Ficha técnica

Suíça 0 x 0 Honduras

Suíça - Benaglio; Lichtsteiner, Von Bergen, Gritching e Ziegler; Barnetta, Inler, Huggel (Shaqiri) e Fernandes (Yakin); Derdiyok e Nkufo (Frei). Técnico: Ottmar Hitzfeld.

Honduras - Valladares; Sabillon, Chavez, Bernardez, Figueroa; Nuñez (Martinez), Wilson Palacios, Thomaz, Alvarez; Jerry Palacios (Welcome) e Suazo (Turcios). Técnico: Reinaldo Rueda.

Cartões amarelos - Fernandes (Suíça); Thomaz, Suazo, Chávez e Wilson Palacios (Honduras).

Árbitro - Héctor Baldassi (Argentina).

Público - 28.042 espectadores.

Local - Estádio Free State, em Bloemfontein (África do Sul).

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2010futebolSuíçaHonduras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.