Laurent Gillieron/EFE
Laurent Gillieron/EFE

Suíços escapam de suspensão por gesto político e são apenas multados pela Fifa

Xhaka, Shaqiri e Lichtsteiner infringiram o código de fair play da entidade em jogo contra a Sérvia

Glauco de Pierri, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

25 Junho 2018 | 15h38

O Comitê Disciplinar da Fifa anunciou nesta segunda-feira mais uma série de punições para federações e confederações de vários países que disputam a Copa do Mundo da Rússia. As penas são relacionadas a infrações que as seleções ou seus torcedores cometeram durante a disputa da segunda rodada da fase de grupos do Mundial de 2018.

+ Na Copa do Mundo dos refugiados, dramas do passado vêm à tona

+ Dirigente da Suíça minimiza possível punição por gestos de jogadores

+ Imprensa da Suíça critica gestos de apoio ao Kosovo em comemorações

Os jogadores suíços Granit XhakaXherdan Shaqiri foram multados em 10 mil francos suíços (cerca de o equivalente a R$ 38 mil) cada; e Stephan Lichtsteiner em 5 mil francos suíços (R$ 19 mil), por terem infringido o código 57, que fala em "atitude antidesportiva e comportamento contrário ao princípio do fair-play durante as celebrações dos gols" na partida que a seleção suíça venceu a Sérvia por 2 a 1, de virada, na última sexta-feira, em Kaliningrado. Eles comemoraram os gols da equipe com um gesto que remete à águia presente na bandeira da Albânia.

Shaqiri é nascido no Kosovo, país com população de maioria albanesa, enquanto Xhaka, natural da Basileia, na Suíça, é filho de pai e mãe kosovares. Nos gols que marcaram, ambos fizeram o gesto com as mãos em referência à águia de duas cabeças presente na bandeira da Albânia, que no final da década de 1990 apoiou Kosovo em guerra contra a Iugoslávia, nação da qual a Sérvia é considerada sucessora.

Apesar de não ter nenhuma ligação direta ou familiar com conflito, Lichtsteiner imitou o gesto dos companheiros durante as comemorações dos gols e por isso também foi multado.

 

Pelas regras da Fifa, o trio de jogadores corria o risco de ser suspenso por até dois jogos, em linha com o fato de que o Código Disciplinar da entidade proíbe manifestações de caráter político dentro de campo. Porém, eles escaparam de um gancho.

A Associação de Futebol da Sérvia, por sua vez, foi multada em 54 mil francos suíços por violar o artigo 67, parágrafos 2 e 3. A pena foi imposta pela exibição de cartazes discriminatórios pelos torcedores sérvios, além de terem atirado objetos em campo na partida contra a Suíça.

Ainda em relação ao jogo entre Sérvia e Suíça, o presidente da federação sérvia, Slavisa Kokeza, e o técnico Mladen Krstaji foram considerados culpados por infringirem o artigo 57. Para a Fifa, os dois tiveram comportamentos antidesportivos e ainda deram declarações polêmicas após o final da partida. Os dois receberam multas de 5 mil francos suíços cada um.

MAIS MULTAS

A Associação Argentina de Futebol (AFA) foi multada em 105 mil francos suíços (R$ 401 mil) e ainda levou uma advertência por seus torcedores terem violado o artigo 67, parágrafos 2 e 3, do Código Disciplinar da Fifa. Após a derrota por 3 a 0 para a Croácia, quatro argentinos espancaram um torcedor croata na saída das arquibancadas da arena de Nizhny Novgorod, após a derrota da equipe de Messi por 3 a 0.

Além disso, foram registrados cantos homofóbicos a foram arremessados objetos em campo. Entre os jogadores, um escolhido pela entidade não compareceu à uma entrevista após o final da partida, o que rendeu uma multa por violação aos regulamentos de Mídia e Marketing.

A federação da Croácia também foi multada, essa em 13 mil francos suíços (cerca de R$ 50 mil), e também recebeu uma advertência por conta da violação do mesmo artigo - torcedores croatas arremessaram objetos ao campo.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.