Sul-Americana não motiva São Paulo

Um ataque sem Luís Fabiano, um meio-de-campo que depende das armações de Ricardinho, recém-recuperado de contusão, fora de ritmo, e uma defesa bastante contestada. Ainda bem, devem pensar muitos são-paulinos, que o jogo de desta quarta-feira, contra o Vasco, não vale pelo Campeonato Brasileiro. A Copa Sul-Americana, por si só, não serve como estímulo aos jogadores, muito menos à torcida. Mesmo sabendo que o São Paulo, no Morumbi, precisa apenas empatar com os cariocas para passar à próxima fase da competição, os desafios são outros. Nem mesmo o fato de o adversário ter vencido os são-paulinos recentemente no Brasileiro, por 3 a 2, conseguiu deixar o elenco ?mordido?, querendo vingança. Os atletas pouco se importam com o confronto, essa é a verdade, mas há exceções. O atacante Rico e o meia Ricardinho, por problemas diferentes, são dos poucos que encontram alguma motivação na partida. Com a ausência de Luís Fabiano, que se apresentou à seleção brasileira, Rico ganha nova chance na equipe. Brigou pela vaga com Diego Tardelli, e levou a melhor. Rico, de 22 anos, voltou ao clube após rápida passagem pela Portuguesa Santista no início do ano. Lá foi artilheiro, agora vem sendo reserva. Diz não se impacientar com o banco, mas vem se esforçando nos treinos para mostrar que pode ser titular. ?Acho que já mostrei que tenho condição de ser aproveitado", afirmou o jogador, que está empolgado. ?Nós precisamos mostrar que aqui no Morumbi quem manda é o São Paulo", disse. Rico dupla com Kléber na frente. O técnico Rojas declarou que Tardelli pode entrar no segundo tempo. O treinador, político, não admite priorizar o Campeonato Brasileiro. ?A Sul-Americana é uma competição importante, com grandes equipes", vem repetindo, sem convencer, coisas desse tipo durante as últimas semanas. As premiações oferecidas pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), claro, são importantes, mas ele, como treinador, está preocupado mesmo é com a recuperação do meia Ricardinho, seu único atleta diferenciado com características de armador. O meia faz contra o Vasco a segunda partida desde sua recuperação - foram dois meses afastado dos gramados por causa de uma lesão muscular na coxa esquerda. Ricardinho ainda se sente meio perdido em campo. Ele próprio admite isso. Sem contar que ainda falta preparo físico. ?Aos poucos, vou entrando no ritmo", diz. Na partida contra o Paysandu, sábado, ficou em campo 60 minutos e se sentiu bem. Se tudo correr como pretende, atua os 90 minutos contra o Vasco. Mas adianta, que não vai se esforçar sem necessidade. ?Tenho de ter paciência, vou jogar até quando eu conseguir e enquanto estiver ajudando o time." A partida marca também o retorno do lateral-direito Leonardo entre os titulares. No último jogo, Fábio Simplício foi improvisado na posição. Simplício, portanto, volta ao meio e Carlos Alberto volta à reserva. Leônidas - Pouco antes da partida, às 17h30, será reaberta a exposição ?O Diamante Negro", em homenagem ao aniversário de 90 anos (sábado, dia 6) de Leônidas da Silva. Na ocasião, ocorrerá também o lançamento do site do ex-jogador (www.leonidasdasilva.com.br), produzido por André Ribeiro, Paulo Machline e Ricardo Martirani.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.