Sul-coreano vê eliminação da Copa como aprendizado

O atacante Son Heung-min não escondeu sua decepção com a campanha da Coreia do Sul na Copa do Mundo de 2014 - seu país foi eliminado na primeira fase com apenas um ponto ganho -, mas acredita que a experiência será fundamental para a sequência de competições. Com a quinta menor média de idade do Mundial, 26,2 anos, a base da seleção asiática foi o time medalhista de bronze na Olimpíada de 2012.

AE, Agência Estado

28 de junho de 2014 | 08h30

"Acho que essa Copa nos deixou vacinados. Enfrentamos adversários muito duros, o que me motivou a trabalhar muito forte. A experiência vai nos ajudar a nos preparar melhor para o próximo torneio, sermos mais competitivos. Essa é a minha esperança", afirmou o sul-coreano ao site da Fifa, em entrevista publicada neste sábado.

O gol marcado na derrota por 4 a 2 para a Argélia, no último domingo, não foi o suficiente para Son deixar de lamentar pelo desempenho da Coreia do Sul na Copa. "Marcar pela primeira vez em um Mundial foi muito importante do ponto de vista pessoal. Mas, no geral, o time não atuou bem, o que é desapontador. Não desempenhamos como esperávamos", admitiu o atacante, que pediu dispensa da seleção que disputou os Jogos Olímpicos de Londres há dois anos.

Aos 21 anos, Son ainda deve ter outras oportunidade de disputar Copas. "Meu treinador e companheiros me lembraram disso. Disseram que estava tudo bem porque eu teria mais chances de jogar nesse nível. Vou me preparar para voltar mais forte", prometeu o atacante.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCoreia do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.