Ivan Storti/Divulgação - 15/2/2013
Ivan Storti/Divulgação - 15/2/2013

Súmula de jogo indica chute e tapas de Neymar em Artur

Jogador acredita que árbitro exagerou aos expulsar os dois de campo

AE, Agência Estado

18 de fevereiro de 2013 | 14h52

SANTOS - O Santos corre sério risco de perder Neymar por mais tempo do que o jogo de suspensão automática pela expulsão do craque diante da Ponte Preta, neste domingo. Isso porque a súmula do árbitro Luiz Flávio de Oliveira indica que o santista agrediu o lateral Artur com um chute e dois tapas. Ele pode pegar uma dura pena quando for julgado pelo TJD-SP (Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo).

De acordo com a súmula da partida, disponibilizada nesta segunda-feira pela Federação Paulista de Futebol, Neymar foi expulso "por haver, após a marcação de uma falta, desferido um chute entre as pernas" do lateral Artur, segundo escreveu Luiz Flávio. "Segurado pelo rosto, Neymar desfere dois tapas no braço do adversário", completa o árbitro.Confira abaixo a cópia do documento.

Luiz Flávio de Oliveira destaca ainda que Neymar tirou a camisa antes de sair de campo, o que também é proibido. Já Artur, segundo o árbitro, foi expulso por segurar acintosamente o rosto de Neymar.

O santista corre o risco de ser indiciado com base no artigo 254-A, incisos I e II, do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que fala em punir quem "desferir dolosamente soco, cotovelada, cabeçada ou golpes similares" e quem "desferir chutes ou pontapés, desvinculados da disputa de jogo."

O craque saiu de campo muito irritado com o árbitro e disse estar convencido de que o desentendimento com Artur não foi grave e que nenhum deles merecia ter sido expulso. "Eu fui disputar uma bola, não posso mais disputar a bola? Depois, o que ocorreu foi coisa normal, nem ele (Artur) nem eu deveríamos ter sido expulsos", disse Neymar. "O futebol está ficando chato demais. Para quem está jogando, quem está assistindo e quem está transmitindo."

O técnico Muricy Ramalho, que costuma dizer que o futebol está chato, concorda com o seu pupilo mais brilhante. "Era no máximo um cartão amarelo para cada um", comentou o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.