"Super-ataque" santista é dúvida

O Santos mantém nesta temporada a tradição de contar com um ataque forte, de muitos gols. A prova disso é a liderança na artilharia do Campeonato Brasileiro deste ano, com 82 gols marcados em 36 jogos, o que dá uma ótima média de 2,28 gols por partida, para a alegria dos torcedores santistas. Os responsáveis por isso são, principalmente, Robinho (que marcou 19 gols), Deivid (que marcou 15) e Elano (que já fez 14 gols). Mas, mesmo com esse bom desempenho, a presença de todos na partida desta quarta-feira contra o São Paulo é dúvida. O motivo? Mais uma vez, o técnico Vanderlei Luxemburgo deve escalar um time misto neste torneio.Se o ?super-ataque? santista estiver em campo, haverá ainda um duelo de ?gigantes?, pois o São Paulo é dono da melhor defesa do Brasileirão, com apenas 33 gols sofridos, o que dá a média de 0,9 gol por partida. A dúvida de quem joga só deve ser desfeita no vestiário, momentos antes do jogo. ?Independente de quem jogar, o que importa é que o time entre em campo achando que precisa da vitória?, avalia o latreral-direito Paulo César.Caso não se enfrentem agora, o duelo ataque x defesa está quase garantido para o clássico de domingo, contra o mesmo adversário, pois a prioridade santista é o Brasileiro e uma vitória manterá a equipe próxima do Atlético-PR, além de evitar que o Tricolor encoste no Santos.Este jogo contra o São Paulo é o primeiro de uma série de jogos do Santos fora de casa. Com a interdição da Vila Belmiro por duas partidas do Brasileiro (decisão tomada pelo STJD), o time da Baixada jogará oito vezes fora de seu estádio, caso o recurso que o clube deu entrada no Superior Tribunal de Justiça Desportiva não seja acatado e nem suspenda a sentença. Treino - Os jogadores do Santos participaram de um treino leve na tarde desta segunda-feira e ainda não sabem qual equipe será escalada por Luxemburgo para o clássico contra o São Paulo. O Santos volta a treinar nesta terça-feira à tarde no Centro de Treinamentos Rei Pelé e depois viaja para a capital, onde ficará concentrado para o clássico. Depois desse jogo, o grupo segue direto para Atibaia (SP), onde treinará para enfrentar novamente o São Paulo, no final de semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.