Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC
Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

Surpreendido pela chuva, Carille explica escolha por Ângelo no ataque do Santos

Por conta de gripe de Marinho, treinador teve que definir o substituto cerca de três horas antes da partida

Redação, Estadão Conteúdo

14 de novembro de 2021 | 12h30

O técnico Fábio Carille precisou fazer uma alteração de última hora na escalação do Santos antes do jogo contra o Atlético-GO neste sábado, que terminou 0 a 0. Marinho teve sintomas de gripe e o treinador contou que definiu que não usaria o atacante cerca de três horas antes de a bola rolar. O jovem Ângelo, de apenas 16 anos, foi a escolha de Carille, que explicou a situação de Marinho e disse que não contava com o gramado encharcado.

 

“Na sexta, (Marinho) chegou com o corpo um pouco ruim, parecendo um início de gripe. Foi medicado e ficou lá dentro. Eu treinei com o Ângelo, mas já avisando que seria o Marinho. Hoje (sábado) na hora do almoço, ele se apresentou muito pior. Já vem de desgaste de jogo, corpo debilitado, nós e o departamento médico decidimos deixar ele fora. Ele poderia, com a imunidade baixa, ter uma lesão e não jogar mais. A gente decidiu deixá-lo fora. É um líder. Quando não está bem tecnicamente, a entrega dele dentro de campo está sendo fundamental”, afirmou Carille após a partida.

 

O técnico do Santos revelou que só descobriu a situação do campo no estádio Antônio Accioly na hora que chegou lá. Por ser um jogador mais leve, Ângelo teve dificuldades para atuar em meio a tanta água. Mesmo assim, seguiu em campo e Carille explicou o motivo pelo qual não gosta de alterar o que foi combinado na preleção.  

 

“Eu defini o time na hora do almoço. Quando a gente chegou aqui, vimos o estado do gramado. Para ser sincero, não gosto de mudar. Tem o abatimento dos atletas, a surpresa para outros atletas. Mesmo assim, a gente não teve entendimento do jogo, não era jogo para carregar a bola, e sim um jogo de passes. A gente abaixou a cabeça e carregou, isso facilitou muito a marcação do adversário. Ângelo é uma joia, mas ainda falta maturidade para ver esses detalhes. De uma forma geral, o conjunto não funcionou”, completou o treinador.

Com a baixa de Marinho, o Santos precisou atuar com um ataque bastante diferente do que teve na partida anterior. Diego Tardelli foi poupado e nem havia viajado para Goiás, enquanto Lucas Braga sofreu uma lesão muscular leve na coxa e também ficou de fora. O jogo deste sábado marcou o retorno do volante Camacho, que volta de lesão e entrou no decorrer da partida. 

 

A luta do Santos contra o rebaixamento segue na próxima quarta-feira, quando o time recebe a Chapecoense na Vila Belmiro, pela 33ª rodada. O empate sem gols contra o Atlético-GO deixou o alvinegro da baixada santista com 39 pontos, na 11ª posição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.