Surpresa e frustração em Berlim com a eliminação do Brasil

Em frente ao Portão de Brandenburgo, que um dia já presenciou o desfile das tropas de Napoleão na conquista da Prússia, torcedores de várias nações presenciaram neste sábado o desfile de Zidane, Henry e companhia e a queda do Império brasileiro no futebol atônitos, sem entender direito o que estava acontecendo. "Não consigo acreditar, perder de novo para eles. Quero ir embora para casa", era a reação de Estela Farias, de Aracaju, que estava com seus familiares e amigos alemães na Fan Fest, no centro de Berlim. "O Brasil acordou tarde demais. E Robinho demorou para entrar", dizia Marcelo Gouvea, estudante que viu sua primeira Copa e estava decepcionado com a atuação do Brasil. "Não entendi o que o técnico quis fazer, tinha de ter mudado antes", acrescentava o alemão Klaus Engel, que vestia a camisa da seleção brasileira como vários torcedores que não eram brasileiros. Logo no início da transmissão, um sinal de que o dia não seria brasileiro. Na hora do hino, um problema deixou o sistema de som mudo. Alguns franceses, que ao final do jogo "brotavam" do chão, cantaram com todos os pulmões a Marselhesa, mostrando respeito e apreensão pela partida. E foi assim durante todo o jogo. Em alguns momentos, os poucos franceses presentes arriscavam um "Allez Les Bleus", mas sem muita motivação. As bandeiras dos dois países tremulavam em cada ataque ou jogada perigosa. Após o gol, os franceses ganharam confiança e não pararam mais. Os alemães com bandeiras do Brasil não desistiam de acreditar numa virada que não veio. "Vim para ver o Brasil jogar e vi a França. O Brasil não jogou nesta Copa", desabafava, revoltado, Soren Heiner. O pior era agüentar a gozação de seus amigos alemães e africanos, que gritavam "Ronaldinho, where is it Ronaldinho?" (Ronaldinho, onde está Ronaldinho?). O dia trágico para duas escolas campeãs mundiais acabou unindo as torcidas decepcionadas com seus times. Os ingleses, que assistiram mais cedo sua seleção perder de Portugal e voltar para casa, não escondiam a surpresa pela eliminação do time brasileiro. "Agora já temos com quem beber a noite toda", afirmou Elena Johnson, inglesa de Birmingham que também mostrava todo seu desapontamento com o time de Beckham. "Provamos que ainda temos um bom time, e vamos ser campeões", bradava Catherine, estudante francesa, na festa que seus conterrâneos faziam na área da Fan Fest. Logo após o apito final do árbitro Cantalejo, alguns alemães ensaiavam o tradicional "Finale, ô,ô", a música mais cantada pelos anfitriões. Pelas ruas, buzinaço e muito barulho para comemorar a desclassificação brasileira. "O Brasil deixou o caminho livre para nós agora", destacou Phillip, que voltava para a casa como se já fosse campeão do mundo, gritando "Deutschland wird Weltmeister (Alemanha será campeã do mundo)". Apesar dos quase 300 mil na Fan Fest, a polícia não registrou nenhum incidente grave após as derrotas da Inglaterra e do Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.