Antonio Calanni/AP
Antonio Calanni/AP

Surpresa, Egito pega EUA e tenta chegar à semifinal

Após vitória sobre a Itália, egípicios precisam de um novo triúnfo para garantir classificação

EFE,

20 de junho de 2009 | 19h48

SÃO PAULO - Sensação da Copa das Confederações, o Egito enfrentará os Estados Unidos às 15h30 de domingo, em Rustenburg, de olho em uma das vagas do grupo B na semifinal. A equipe treinada por Hassan Shehata chega embalada pela vitória de 1 a 0 sobre a Itália, além da boa atuação na estreia, que terminou com a vitória de 4 a 3 para o Brasil.

Veja também:

Copa das Confederações 2009 - tabela Classificação

Copa das Confederações 2009 - lista Calendário

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Os egípcios estão em segundo lugar, com os mesmos três pontos dos italianos, e precisam pelo menos do empate para ter chances de classificação. Além disso, têm que ficar de olho no duelo entre Itália e Brasil, que acontecerá no mesmo horário em Pretória. Destaque no jogo contra os italianos, o goleiro El Hadary está confirmado no duelo da terceira rodada.

 Egito
El Hadary; Fathi, Ahmed Said, Hani Said e Gomaa; Moawad, Abd Rabbou, Shawky e Homos; Aboutrika e Zidan.
Técnico: Hassan Shehata.
 Estados Unidos
Tim Howard; Jonathan Spector, Jay DeMerit, Oguchi Onyewu e Jonathan Bornstein; Clint Dempsey, Michael Bradley, Conor Casey e DaMarcus Beasley; Landon Donovan e Jozy Altidore.
Técnico: Bob Bradley.
Árbitro: Michael Hester (NZL)

Estádio: Royal Bafokeng, em Rustenburg (AFS)

Horário: 15h30 (de Brasília)

TV: Sportv2

Já o meia-atacante Mohammed Aboutrika, considerado o maestro da equipe, afirmou que a partida contra os EUA é "mais importante" que as duas anteriores.

"Se não vencermos os americanos, o triunfo contra a Itália terá sido inútil. É um jogo decisivo. Se quisermos chegar às semifinais, precisamos estar perfeitamente concentrados", comentou.

Já a seleção treinada por Bob Bradley reúne chances remotas de classificação e tentará desfazer a péssima impressão deixada nas primeiras rodadas. A equipe vem de duas derrotas, para Itália e Brasil.

A campanha dos americanos é muito ruim, com seis gols sofridos e apenas um marcado. Para chegar à próxima fase, os EUA precisam golear os egípcios e torcer por uma vitória do Brasil.

"Evidentemente estamos decepcionados com as derrotas nos nossos dois primeiros jogos, mas não estamos matematicamente eliminados e seguimos confiando nas nossas chances", disse o lateral Jonathan Spector.

Bradley terá o desfalque do meia Sacha Kljestan, expulso contra o Brasil. Com isso, Conor Casey deve ficar com a vaga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.