Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Surpreso, Corinthians tem chegada tranquila no Paraguai

Depois do sufoco em Bogotá, apenas cerca de 50 pessoas esperaram o alvinegro no aeroporto em Assunção

AE, Agencia Estado

16 de março de 2010 | 20h26

O tumulto que marcou a chegada da delegação corintiana a Bogotá, na Colômbia, na semana passada, não chegou nem perto de se repetir nesta terça-feira, quando o time desembarcou no Paraguai. No saguão do Aeroporto Internacional Silvio Pettirossi, em Assunção, apenas cerca de 50 pessoas esperavam os jogadores do Corinthians, que ficaram surpresos com tanta tranquilidade.  

 

Veja também:

link Mano ironiza e diz que Santos inventou conspiração

"Em Bogotá foi uma loucura, mas aqui bem tranquilo. Não dá para saber como é a imagem do Corinthians fora do Brasil ainda", opinou o volante Elias, que não espera a mesma calmaria para o confronto desta quarta, contra o Cerro Porteño, pela Copa Libertadores. "Na hora do jogo será mais quente. Eles precisam ganhar e virão para cima da gente", disse.

O meia Danilo, também surpreso com a recepção tranquila em Assunção, concorda com Elias, e ainda agradece se o time paraguaio adotar mesmo uma postura ofensiva. "É até bom que eles venham com tudo, pois temos um forte contra-ataque", comentou o jogador.

O único que teve motivos para reclamar no desembarque foi Ronaldo. Mais assediado do elenco, como de costume, ele se irritou com os seguranças corintianos. "Pô, brincadeira, vocês ficam puxando minhas coisas (a mala) ao invés de empurrar as pessoas pra eu passar", criticou o Fenômeno, que vive um jejum de gols e não marca há seis jogos.

SEM TREINO

Ainda nesta terça-feira, o Corinthians teria direito a fazer um treino de reconhecimento no Estádio Defensores del Chaco, mas a atividade acabou cancelada. Isso porque Olímpia e Sol de America jogam lá pelo Campeonato Paraguaio, e o time brasileiro só poderia treinar depois da partida, num horário considerado muito tarde pela comissão técnica.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa LibertadoresCorinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.