Suspeito de chefiar máfia dos ingressos deixa a prisão no Rio

Decisão do ministro do STF Marco Aurélio Mello beneficia também outros envolvidos no escândalo que estavam presos no Rio 

Viga Gaier, Reuters

15 de agosto de 2014 | 14h34

O franco-argelino Lamine Fofana, suspeito de chefiar um grupo envolvido na venda ilegal de ingressos e preso durante a Copa do Mundo, deixou a prisão nesta sexta feira no Rio de Janeiro, após determinação do Supremo Tribunal Federal (STF).

O ministro Marco Aurélio Mello determinou a liberdade na quarta-feira, sob argumento de que a soltura não representava risco para as investigações.

A decisão do STF também beneficia outros nove supostos integrantes da máfia de ingressos, que também foram presos na Copa do Mundo. Todos estavam detidos no complexo penitenciário da zona oeste do Rio.

Apesar de livres, os suspeitos têm de se manter à disposição da Justiça e não podem deixar o Brasil.

Na semana passada, o diretor-executivo da Match, empresa ligada à Fifa, Raymond Whelan, deixou a prisão também por decisão do STF. Whelan foi preso no dia 7 de julho acusado de atuar como facilitador em um esquema ilegal de venda de ingressos da Copa do Mundo.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolCopa 2014FifaingressosSTF

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.