Reuters
Reuters

Suspenso pela Fifa, turco não pede para não receber do Bayer Leverkusen durante gancho

Hakan Çalhanoglu foi punido por problemas na assinatura de seu primeiro contrato profissional, em 2011

Estadao Conteudo

07 Fevereiro 2017 | 12h18

Suspenso pela Fifa por quatro meses por irregularidades em seu primeiro contrato profissional, assinado em 2011, o meia turco Hakan Çalhanoglu vai continuar no Bayer Leverkusen mesmo sem poder atuar. Nesta terça-feira, porém, o clube alemão revelou que o jogador abriu mão de seus salários durante o período de afastamento.

"O Bayer não tem nada a ver com o passado. O clube foi prejudicado pela pena imposta, do ponto de vista esportivo e econômico. Portanto, é natural para mim que eu não prejudique ainda mais o clube e renuncie do meu salário durante o tempo da minha suspensão", disse o turco ao site oficial do Bayer.

Quando ainda atuava nas divisões de base do Karlsruher, da Alemanha, Çalhanoglu recebeu 100 mil euros do Trabzonspor, da Turquia, para assinar pelo clube quando completasse 18 anos. Ao invés de completar a transação, no entanto, na temporada 2011/2012 ele assinou uma renovação de contrato com o Karlsruher.

A decisão de Çalhanoglu motivou o Trabzonspor a entrar com uma ação na Fifa em 2013. A entidade deu ganho de causa ao time turco e decidiu pelos quatro meses de punição, mas a sanção foi suspensa até o parecer da Corte Arbitral do Esporte (CAS), na semana passada.

Antes de chegar ao Leverkusen, Çalhanoglu ainda vestiu a camisa do Hamburgo na temporada 2013/2014. Agora, seu clube terá que lidar com sua ausência pelo resto do Campeonato Alemão, além das oitavas de final da Liga dos Campeões contra o Atlético de Madrid.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.