Gilvan de Souza/Flamengo
Gilvan de Souza/Flamengo

Suspenso por 2 jogos, Cuéllar é liberado para reforçar Fla com efeito suspensivo

Jogador foi punido pelo STJD, mas horas depois o clube conseguiu reverter a pena

Estadao Conteudo

21 de setembro de 2018 | 20h26

A sexta-feira foi bastante movimentada para o volante Cuéllar no Flamengo. Momentos depois de conceder entrevista coletiva no CT do clube, o colombiano foi julgado e suspenso por dois jogos pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Horas mais tarde, porém, viu o time carioca conseguir um efeito suspensivo e liberar sua presença em campo contra o Atlético-MG, domingo, no Maracanã.

Cuéllar havia sido suspenso por um lance ocorrido na derrota diante do Atlético-PR, em Curitiba, pelo Campeonato Brasileiro. No segundo tempo daquela partida, quando o placar já apontava 3 a 0 para os donos da casa, o volante acertou o pisão no atacante Pablo após uma dividida na linha de fundo.

O lance passou desapercebido pela arbitragem, que sequer apitou falta. No entanto, após analisar as imagens da tevê, o STJD julgou Cuéllar e decidiu puni-lo com dois jogos de suspensão. Ele desfalcaria o Flamengo no fim de semana, mas foi liberado graças ao trabalho do departamento jurídico do clube.

Antes mesmo deste imbróglio jurídico, Cuéllar falou sobre a expectativa para a partida de domingo. "O time do Atlético-MG é muito competitivo e tem um elenco de qualidade. Eles gostam muito de ficar com a bola e trabalhar o jogo sem pressa. Temos que tomar cuidado e ao mesmo tempo criar as oportunidades para os nossos centroavantes marcarem os gols."

Trata-se de um confronto importantíssimo para o Flamengo se manter sonhando com o título brasileiro e, ao mesmo tempo, seguir na frente do Atlético-MG, que está somente três pontos atrás - 45 a 42. Para vencer, Cuéllar pediu mais capricho ao time rubro-negro na hora da conclusão.

"Temos conseguido criar nos jogos, mas infelizmente não fizemos os gols necessários para ganhar as partidas. Estamos no caminho certo, mas temos muito a melhorar. É importante ganhar para retomar a confiança. E depois que a bola voltar a entrar, vai continuar entrando até o final do ano", apontou.

 
 
 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.