AFP
AFP

Suspenso por agressão, Leonardo quer indenização milionária

Após ter sua pena anulada, ex-jogador alega que caso atrapalhou a continuidade de sua carreira como dirigente no futebol

Estadão Conteúdo

16 de janeiro de 2015 | 11h57

Ex-jogador e ex-diretor esportivo do Paris Saint-Germain, Leonardo está pedindo pelo pagamento de uma indenização de mais de 8,5 milhões de euros (cerca de R$ 25 milhões) da Federação Francesa de Futebol (FFF) como compensação pelos danos causados a si próprio após suspensão de 14 meses aplicada contra ele, em 2013.

Tetracampeão do mundo com a seleção brasileira em 1994, Leonardo recebeu uma suspensão de nove meses depois de ter sido flagrado empurrando o árbitro Alexandre Castro na entrada do vestiário após partida entre PSG e Valenciennes, em maio de 2013, em Paris, quando então trabalhava como diretor do clube francês.

Punido, inicialmente Leonardo recebeu, em maio de 2013, uma suspensão de nove meses da comissão disciplinar do Campeonato Francês. Mais tarde, porém, a punição foi ampliada pela FFF para 14 meses e passou a valer até 30 de junho de 2014.

Depois, entretanto, Leonardo conseguiu ter sucesso em apelo contra a punição e a Justiça anulou a pena. Indignado com a sanção aplicada anteriormente, o ex-jogador alega que a mesma atrapalhou a continuidade de sua carreira como dirigente no futebol, assim como afetou a sua imagem e reputação.

A FFF confirmou nesta sexta-feira à agência Associated Press, por meio de uma porta-voz, que Leonardo está lutando, de fato, para receber a milionária indenização. A entidade, que deve tentar selar um acordo amigável, ainda não decidiu se concorda com o pedido do brasileiro, também ídolo do PSG em sua época de jogador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.