Susto de Magrão não desconcentra Palmeiras

Um pequeno acidente durante o recreativo desta sexta-feira causou sensível desfalque no Palmeiras, que enfrenta o Marília, neste sábado, às 16 horas, no Estádio Farahzão, em Presidente Prudente. Magrão deixou o treino com o olho direito irritado por uma dedada involuntária de Marcinho. Segundo o médico Maurício Bezerra, um exame oftalmológico detectou que o volante teve a vista afetada e de tomar alguns pontos a laser. "Não é nada muito sério, foi apenas uma laceração da conjuntiva. Magrão está enxergando bem e não corre risco de perder a visão, mas por causa dos pontos não vai viajar com a delegação e deverá ficar uma semana em repouso", disse o médico.Jair Picerni não definiu o substituto, mas o volante Correia tem boas chances de ser titular, até porque fez gol olímpico na vitória do Palmeiras sobre o Paulista por 5 a 2 e foi elogiado, ao lado de Muñoz, pelo treinador. "Foi um gol de escanteio (de Correia) e outro de cobertura (de Muñoz), de tirar o chapéu", comentou o técnico.Outra mudança no time titular que enfrentou o Paulista é a substituição de Marquinhos, que sofreu contusão no tornozelo no último jogo, por Lúcio, que regularizou sua documentação. O jogador garante que os problemas burocráticos e de relacionamento que envolveram sua renovação de contrato estão superados e vai entrar em campo motivado.Picerni garante a possibilidade de mudanças, ainda que não para este jogo. Pode usar três atacantes como titulares e colocar Muñoz e Correia no time principal. "Mas uma coisa a gente traz da Série B que é a pegada. Vamos pressionar para levar o adversário ao erro e mostrar nossa velocidade."O técnico mostrou algum desconforto quando falou sobre as dúvidas quanto a capacidade de o time manter rendimento na Primeira Divisão. "Não só é possível como posso dar um exemplo: o São Caetano. O time tinha disputado a Segunda Divisão do Paulista, o módulo amarelo da Copa João Havelange e quase ganha do Vasco, do módulo verde, não fosse o acidente em São Januário."Cansaço - Tentando superar a falta de treinos, o Marília enfrenta o Palmeiras na base da superação. Um dos maiores obstáculos do time comandado por Flávio Lopes será driblar o cansaço de seus jogadores. A delegação chegou de Campinas, onde empatou com o Guarani (1 a 1) na madrugada de quinta-feira, após cinco horas de viagem. À tarde, o elenco realizou treino leve, antes de viajar duas horas até Presidente Prudente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.