Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians
Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians

Sylvinho indica que manterá Renato Augusto como 'falso 9' no Corinthians

Novo posicionamento do experiente jogador gerou críticas ao treinador e tem preocupado torcida

Felipe Rosa Mendes, O Estado de S.Paulo

07 de novembro de 2021 | 05h00

Acostumado a atuar como volante, Renato Augusto voltou a ser utilizado por Sylvinho como um "falso 9" na vitória do Corinthians sobre a Fortaleza por 1 a 0, na noite de sábado. O técnico saiu de campo satisfeito com o desempenho do meia num posto mais avançado e indicou que deve manter esse novo posicionamento do jogador nas próximas rodadas do Brasileirão.

"Eu tenho o entendimento, e muita gente com quem converso também, que já contaram com o Renato em outros times e até na seleção, de que o Renato pode fazer o falso 9, um tripé pelo lado esquerdo. São as características que o atleta empresta ao clube. Não vou negligenciar nenhuma", disse Sylvinho.

Até agora Renato Augusto não apresentou maior aproveitamento na nova função. Apesar disso, o treinador acredita que o volante tem potencial para se tornar decisivo no ataque. Eu coloco amanhã o Renato num time como atacante, ele faz dois gols, então ele serviu, agora valeu", comentou.

Na posição de "falso 9", Renato Augusto atua quase como um pivô, atuando de costas para o gol adversário. O volante, contudo, está acostumado a jogar de frente para o gol, geralmente surpreendendo as defesas adversárias ao vir de trás, muitas vezes com finalizações perigosas de longa distância.

"Renato é um atleta com versatilidade muito grande, que tem dado passes para frente. Alguns atletas no decorrer das carreiras vão atrasando um pouco na etapa do campo. O Renato tem condição de fazer o falso 9, com muita qualidade técnica. Pode jogar na meia, até de primeiro volante. Foi excepcional contra o Bragantino, é um jogador de muita qualidade", reforçou o técnico.

Na avaliação de Sylvinho, o bom rendimento de Renato Augusto não depende apenas do próprio desempenho individual do jogador. "Não acredito que seja só adaptação, é uma conexão inteira do time. O Renato empresta muita coisa, como os demais, cada um em seu talento. Enquanto enxergar possibilidades de potencializar o time dessa maneira, vou continuar usando. Não vamos fazer de colocar o Renato de lateral-esquerdo ou colocar o Giuliano de zagueiro. Vamos fazer como as coisas nos propiciam. Duas ou três funções que podem fazer. Quanto mais conhecermos o atleta, o clube, melhor."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.