Alexander Zemlianichenko/AP
Alexander Zemlianichenko/AP

Tá russo! Não é fácil acertar o pedido, mesmo em cardápios com fotos

Você poderá ser surpreendido ao receber um par de luvas descartáveis junto com o pedido do seu jantar

Ciro Campos, enviado especial / Sochi, O Estado de S.Paulo

21 Junho 2018 | 04h00

Nas horas mais sagradas do dia, as das refeições, é quando o estrangeiro mais se sente em uma típica situação russa. O brasileiro vai encontrar situações inusitadas mesmo se tentar optar por pratos mais comuns ao nosso paladar. Até porque você poderá ser surpreendido ao receber um par de luvas descartáveis junto com o pedido do seu jantar.

+ Tá russo! Detectores de metais estão por todos os lados na Rússia

+ Tá russo! Em Sochi, a praia é o passatempo preferido

+ Tá russo! Barreira linguística é superada pelo afeto

A aventura gastronômica dos brasileiros pela Rússia vai exigir paciência e o uso de aplicativos de tradução. Afinal, restaurantes com buffet por quilo não existem por aqui e com frequência você irá se deparar com cardápios escritos em russo e com o alfabeto cirílico em destaque a cada página. Ao visitar os números ao lado de cada prato, tome cuidado: alguns locais informam tanto o preço quanto o peso de cada um dos itens.

Tomate. Pimentão. Pepino. A trinca é para os russos mais comum do que arroz, feijão e farinha, pois está presente em várias refeições. No café da manhã, o tomate é um item mais obrigatório do que o pão com manteiga. Para beber, o chá de frutas é a principal pedida, assim como o iogurte, com sabor mais azedo do que no Brasil.

Na hora do almoço a situação vai começar a ficar russa para os brasileiros. O critério mais seguro para escolher onde comer é procurar estabelecimentos onde os cardápios tenham foto das opções. Ainda assim, isso não evita surpresas. É possível que a imagem lhe conduza a equívocos, como se passou com um colega nosso de cobertura. Uma foto não muito nítida de um potencial prato de carne fatiada virou decepção quando na verdade o pedido chegou à mesa como um pão escuro cortado em retângulos.

 

Porém, as surpresas podem vir mesmo quando se opta por pratos conhecidos. Dias atrás, em um misto de vontade de comer hambúrguer e cansaço por errar opções alimentícias, fui a uma lanchonete. Qual não foi minha surpresa quando o pedido veio com um par de luvas plásticas. Sim, bem daquelas de dentista. Por aqui é comum oferecer ao freguês a opção de proteger as mãos da gordura que pode escorrer a cada mordida.

Nas pizzas o estrangeiro também pode ter surpresas. O apreço dos russos pelo pimentão faz o vegetal marcar presença em pizzas de sabores como peperoni, por exemplo. Mais inusitado ainda para nós, brasileiros, tão acostumados a esse maravilhoso prato italiano, é ver que um dos sabores mais pedidos por aqui é um de carne moída. Pois é, como se fosse pizza à bolonhesa.

Após procurar um cardápio decifrável, superar problemas com fotos e conseguir se comunicar nos restaurantes, os brasileiros podem ter dificuldade na hora de pagar a conta. O nosso costume de sair jantar em grupos de amigos e depois dividir a conta dificilmente será entendido na Rússia. Melhor realizar um revezamento entre se sentará na ponta mesa quem terá a honra de arcar com o gasto do grupo.

Apesar de tudo, encarar a gastronomia na Rússia pode propiciar boas surpresas. Os sorvetes e sobremesas são saborosos, assim como produtos da confeitaria e os pães. A população local adora molhos, em especial o smetana, feito à base de creme de leite. É acompanhamento obrigatório para vários pratos, como a tradicional borsch, sopa feita de beterraba e bem comum nos restaurantes.

O país também tem uma gastronomia de rua bastante tradicional. No sul do país, em Sochi, os espetinhos de camarão são boas pedidas para os veranistas. A proximidade com os países árabes leva às esquinas kebabs e shawarmas para os turistas. É uma internacionalização ainda tímida, mas quem sabe a Copa e a invasão brasileira na Rússia não podem deixar como legado opções tipicamente nossas, como churrasco e feijoada? 

*CIRO CAMPOS É REPÓRTER DO ‘ESTADÃO’

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.