Ricardo Moraes/Reuters
Ricardo Moraes/Reuters

Tabárez comemora vitória difícil do Uruguai e vê Colômbia como mais forte

Com triunfo sobre o Chile, uruguaios 'escaparam' dos colombianos e vão enfrentar a seleção peruana

Marcio Dolzan /RIO, Estadão Conteúdo

24 de junho de 2019 | 23h24

A vitória do Uruguai sobre o Chile, por 1 a 0, na noite desta segunda-feira, deixou a seleção na liderança do seu grupo e deu um pouco mais de tranquilidade ao técnico Óscar Tabárez. Após a partida no Maracanã, o treinador exaltou o fato de os uruguaios terem ganho um dia a mais de descanso e não ter de enfrentar a Colômbia, apontada por ele como a seleção mais forte da Copa América.

"A seleção da Colômbia é a única que ganhou todos os pontos, e isso que no terceiro jogo usou jogadores que não tinha usado. Tem um grupo muito forte. Talvez neste momento é a equipe mais difícil de se enfrentar", ponderou.

Apesar disso, o treinador uruguaio evitou classificar a seleção peruana - adversária das quartas de final, en jogo que será disputado sábado, em Salvador - como mais fraca.

"Continuo com a ideia de que são presunções, comentários, mas não podemos dizer nada do jogo que vem pela frente. O Peru pode ganhar, e para mim não teria nada de surpreendente", disse Tabarez.

Ele argumentou que ninguém previu que o Brasil aplicaria 5 a 0 nos peruanos, como aconteceu no sábado. "Agora é mata-mata e temos que ganhar. É um estilo de jogo diferente (daquele de fase de grupos).

Sobre a partida contra o Chile, Tabarez classificou como um duelo "difícil" e reconheceu que o Uruguai sofreu no primeiro tempo. "Foi um jogo bem duro, bem difícil. O Chile teve o controle de jogo em determinados momentos no primeiro tempo, mas no segundo procuramos dar mais intensidade no jogo. Foi um jogo muito disputado, muito equilibrado, com poucos espaços. Acredito que falhamos em algumas oportunidades, mas chegamos com algumas condições mais claras que o nosso adversário", avaliou o técnico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.