Fabrice Coffrini/AFP
Fabrice Coffrini/AFP

Tabárez exalta atuação uruguaia, mas lamenta chances perdidas: 'Tem que melhorar'

Técnico vê críticas na atuação da sua seleção na vitória do Uruguai por 3 a 0 sobre a Rússia

Estadao Conteudo

25 Junho 2018 | 15h02

O Uruguai teve sua melhor atuação na Copa do Mundo nesta segunda-feira, ao vencer a Rússia por 3 a 0, em Samara, e garantir vaga na próxima fase como líder do Grupo A. O bom desempenho de seus comandados foi reconhecido pelo técnico Óscar Tabárez, que só reclamou deles por um motivo: as chances desperdiçadas.

+ Uruguai bate a Rússia, mantém os 100% e lidera grupo A

+ Suárez celebra liderança do grupo e exalta evolução do Uruguai na Copa

"Colocamos eles no campo de defesa no primeiro tempo. Poderíamos ter vencido por mais gols. Não conseguimos marcar em alguns contra-ataques em que deveríamos ter conseguido. Às vezes, o 'timing' não era perfeito. Precisamos melhorar isso muito rapidamente, porque qualquer partida das oitavas será extremamente difícil", comentou.

Crítica feita, Tabárez foi só elogios à primeira fase do Uruguai. A vitória desta segunda, aliada aos triunfos sobre Egito e Arábia Saudita, ambos por 1 a 0, garantiram a liderança ao time. São cinco gols marcados e nenhum sofrido em três partidas até o momento.

 

"O resultado e a ponta do grupo me agradaram muito. Nós ganhamos por uma larga margem, mas eu gosto do fato que não fomos vazados. Precisamos trabalhar até o fim, mas gostei da dedicação e concentração que meu time teve. Eles estiveram focados de lado a lado, todo o elenco, e executaram o plano que trabalhamos e no qual todos confiávamos", apontou.

A atuação "balanceada" de sua seleção deixou o técnico extremamente satisfeito. "Para mim, o 'cálice sagrado' do futebol é esta palavra: balanço. Quando atacamos, precisamos ser capazes de atacar, mas isso não vem de uma sugestão abstrata. Quando há um ataque, é porque a posse foi recuperada ou defendemos bem o ataque do oponente. Precisamos trabalhar no balanço o tempo todo."

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.