Mauricio Dueñas Castañeda/EFE
Mauricio Dueñas Castañeda/EFE

Tabárez minimiza retrospecto favorável do Uruguai e prega respeito ao Peru

Seleções se enfrentam neste sábado, na Arena Fonte Nova, pelas quartas de final da Copa América

Redação, Estadão Conteúdo

28 de junho de 2019 | 21h39

O técnico Óscar Tabárez disse nesta sexta-feira que não aceita o favoritismo dado pela imprensa à seleção do Uruguai no confronto contra o Peru, neste sábado, pelas quartas de final da Copa América. Em entrevista coletiva, o "Maestro" pregou respeito ao adversário no duelo marcado para a Arena Fonte Nova, em Salvador.

"Os antecedentes não têm muita relação. Nossa equipe vem evoluindo, tem uma base, mas foram incorporados novos atletas. De maneira geral, não faço esse tipo de comparação temporal, porque não significa nada. O Peru tem uma equipe experiente. O respeito que temos é o mesmo. As partidas não são jogadas antes. Surpresas acontecem", afirmou o experiente comandante uruguaio.

Em 20 jogos na Copa América, o Uruguai soma 12 vitórias, o Peru seis e foram registrados dois empates. Tabárez prefere destacar as qualidades do rival, especialmente o talento do goleador Paolo Guerrero.

"Espero um jogo difícil. Vocês já devem ter ouvido isso várias vezes, mas todas as equipes têm o seu potencial. Respeitamos o rival, e nesse caso é um rival de muita qualidade. Seu principal jogador é de nível internacional (Guerrero) e pode definir qualquer partida", afirmou Tabárez, que, ao mesmo tempo, indicou um grau de confiança muito alto de seus jogadores para a busca da vaga na semifinal da competição continental.

"Em todos os jogos buscamos fazer aquilo que leve o time a atingir a sua melhor forma. Tivemos um dia a mais de descanso. Estamos bem. Veremos em campo como as coisas vão progredir, mas temos a expectativa de ganhar, sabendo que vamos jogar contra um rival que quer a mesma coisa", afirmou o treinador, que disputa a sexta Copa América (as outras foram as de 1989, 2007, 2011, 2015 e 2016).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.