Taça do Atlético-MG vai à leilão

Se já não bastassem as dificuldades em campo, já que corre sério risco de rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileirio, o Atlético Mineiro coleciona problemas administrativos. Hoje, a torcida alvinegra foi surpreendida com a notícia de que a taça de campeão brasileiro de 1971 - o mais importante título da história alvinegra - está designada pela Justiça como penhora de uma dívida trabalhista e será levada a leilão público no próximo dia 18. Trata-se de uma dívida de R$ 3,1 mil cobrada por Maurílio Cristoforeto de Oliveira. Além do troféu - avaliado em R$ 2,5 mil -, foi penhorado um aparelho de TV, avaliado em R$ 600. O débito trabalhista em questão é irrisório perto da dívida global do clube mineiro, atualmente na faixa dos R$ 150 milhões, segundo o presidente Ricardo Guimarães. O departamento jurídico do Atlético procurou minimizar o fato, garantindo a quitação da dívida antes da data do leilão. "O momento é de pagar a dívida, não precisava nem dessa repercussão. O valor penhorado não corresponde à importância histórica do bem. Basta depositar o dinheiro. O leilão não vai ocorrer", assegurou o diretor jurídico clube, Roberto Vasconcellos.

Agencia Estado,

25 de outubro de 2005 | 19h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.