Taça do Brasileiro está "presa" na CEF

Enquanto Santos e Atlético-PR brigam palmo a palmo pelo Troféu João Havelange - que desde 1993 a CBF entrega ao campeão brasileiro -, a diretoria do Flamengo trava uma batalha silenciosa em busca de uma taça quase esquecida. Há 12 anos, o Flamengo briga na Justiça pela posse definitiva do Troféu Copa do Brasil - que seria destinado ao clube que conquistasse cinco vezes o campeonato nacional e que desde 1992 se encontra trancafiado num cofre na Caixa Econômica Federal (CEF) no Rio. Campeão brasileiro nos anos de 1980, 1982, 1983 e 1992, o Flamengo briga pelo reconhecimento do título de 1987 - ano marcado como um dos mais turbulentos da história do futebol brasileiro. Insatisfeitos com o rumo que o campeonato havia tomado, os principais clubes do País se uniram e criaram o Clube dos 13, uma entidade que pregava a ruptura com a CBF e prometia organizar um campeonato mais racional e menos deficitário.Temendo represálias da Fifa, no entanto, os clubes recuaram. Se reconciliaram com a CBF e o campeonato da primeira divisão foi formado pelo pessoal do Clube dos 13, mais Goiás, Santa Cruz e Coritiba como convidados.A CBF apelidou a primeira divisão de Módulo Verde. Além disso, criou outros três módulos - Amarelo, Azul e Branco, que representariam, respectivamente, a segunda, terceira e quarta divisões. Quando as coisas pareciam ter entrado nos eixos, a CBF decidiu mudar o regulamento e criou um quadrangular final entre os campeões e vices dos módulos Verde e Amarelo, para só então definir o campeão nacional. Flamengo e Internacional foram os dois primeiros do Módulo Verde, enquanto Sport e Guarani ganharam o Amarelo. Só que aí começaram os problemas. O Flamengo se recusou a disputar o quadrangular final. E a CBF, em represália, declarou o Sport como campeão brasileiro de 1987.Em 92, o Flamengo voltou a ser campeão, passou a se considerar cinco vezes campeão brasileiro e saiu em busca do Troféu Copa do Brasil. A CBF se manteve irredutível. Começou, então, a briga na Justiça. Em 93, em conseqüência da ação judicial, a CBF criou o Troféu João Havelange e mudou o sistema. Na verdade, facilitou para os clubes. Agora, para ficar com a posse definitiva da taça, não é preciso mais ganhar cinco campeonatos. Três deles bastam. Atualmente, desde a criação do novo sistema, dois clubes têm dois títulos: Palmeiras (93/94) e Corinthians (98/99). O Vasco, campeão de 97, ganhou também em 2000, mas aquele não era o Campeonato Brasileiro - foi batizado de Copa João Havelange. Santos e Atlético-PR buscam o segundo título: o time paulista foi campeão em 2002 e o paranaense levantou a taça no ano anterior.O Campeonato Brasileiro de 2004, disputado em sistema de pontos corridos, termina neste domingo ainda com uma curiosidade. O campeão - seja ele Santos ou Atlético-PR - não vai levantar a taça ao final do jogo. Como ainda não se sabe quem será o campeão, a CBF decidiu manter a troféu no Rio e fazer a premiação somente dois ou três dias depois. Dependendo da agenda do clube vencedor, será feita na terça ou quarta-feira (21 ou 22 de dezembro).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.