Tachira se irrita com imprensa brasileira

O Deportivo Tachira fez o último treinamento antes do jogo desta quarta-feira, contra o São Paulo, com portões fechados. Por causa de algumas matérias que foram publicadas pela imprensa brasileira dizendo que os jogadores do time venezuelano estão um pouco acima do peso, os dirigentes do clube não admirtiram a entrada de jornalistas no CT do Palmeiras, na manhã desta terça."Uma coisa é existir pressão psicológica, outra é falta de respeito com a gente", disse um representante do Tachira. "Por conta disso, a gente proibiu a entrada da imprensa brasileira." Em relação ao time, o técnico César Farías escalou a mesma formação das últimas partidas. Os quatro argentinos do elenco, Kloker, Bidoglio, Beraza e Panigutti, estão confirmados, além do volante brasileiro Cláudio Silva e do centroavante da seleção venezuelana Rondón, que marcou três gols na Copa Libertadores.A equipe venezuelana é a única invicta da competição e garante que não ficará na retranca contra o São Paulo, mesmo jogando no Morumbi."Somos os únicos invictos da Copa Libertadores e isso quer dizer que somos os melhores", disse o atacante Rondón. "Por que não pensar no título? Já demos mostras de que somos capazes."Nos quatro jogos que disputou fora de casa na Libertadores, o Deportivo Tachira empatou em todos. A idéia é, pelo menos, voltar para San Cristóbal com um resultado de empate. "Todo o cuidado é pouco contra o São Paulo", adverte o brasileiro Cláudio Silva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.