Taguatinga está revoltada com juiz

A revolta contra o juiz gaúcho Carlos Eugênio Simon tomou conta das ruas de Taguatinga, após o jogo em que o Brasiliense perdeu por 2 a 1 para o Corinthians, por causa de erros da arbitragem. Para assistir ao jogo, o torcedor candango vestiu camisa amarela e foi para bares com TV em Taguatinga, cidade-satélite onde funciona o estádio Serejão já batizado de "boca do jacaré" em homenagem ao Brasiliense. Para os brasilienses, o juiz foi o 12º homem do Corinthians em campo. Alguns torcedores chegaram a considerar uma vergonha Simon ir para a Copa do Mundo - único árbitro brasileiro selecionado pela Fifa - depois de uma atuação como a de quarta-feira no Estádio do Morumbi. Os jogadores foram recepcionados nesta quinta-feira no aeroporto com faixas contra o árbitro. "Mesmo com juiz ladrão o Brasiliense vai ser campeão", dizia uma delas. Cantores de rap tentaram animar o grupo cantando versos específicos para cada jogador que desembarcava. Uma torcedora levou um bolo para Maurício, autor do gol do Jacaré. O artilheiro do time, Wellington Dias, parecia o mais abatido. Cabisbaixo foi o primeiro a entrar no ônibus que levaria os jogadores direto para casa, já que esta quinta-feira era de descanso. Mas acabou descendo do ônibus para dar entrevistas. O supervisor do Brasiliense, Roberval de Paula, garantiu que os jogadores estão conscientes de que precisam ganhar no Serejão, na próxima quarta-feira, para vencer a Copa Brasil. "Vamos dar o troco aqui." Ele sugeriu ainda a suspensão por tempo indeterminado do juiz gaúcho, punição semelhante a aplicada a um árbitro de Brasília que cometeu vários erros de arbitragem num jogo entre Vasco e São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.