Oleksandr Osipov/Reuters
Oleksandr Osipov/Reuters

Taison, do Shakhtar, é suspenso por uma partida por reação a insultos racistas

Atacante foi expulso após chutar uma bola e fazer gestos obscenos para torcedores que o ofendiam racialmente

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de novembro de 2019 | 16h55
Atualizado 22 de novembro de 2019 | 11h20

Em dos recentes casos de racismo no futebol, o atacante brasileiro Taison, do Shakhtar Donetsk, sofreu um duro golpe nesta quinta-feira. A Associação Ucraniana de Futebol confirmou a suspensão de um jogo para o jogador por reagir mostrando o dedo do meio e chutando a bola em direção à torcida do Dínamo de Kiev após sofrer com insultos racistas.

O caso aconteceu no último dia 10, por volta dos 30 minutos do segundo tempo, após o brasileiro, que atuou no Internacional, cometer uma falta em um jogador do Dínamo de Kiev, que era visitante naquela partida. Taison recebeu o cartão vermelho e saiu de campo chorando.

O Dínamo de Kiev também recebeu uma punição. A Associação Ucraniana de Futebol ordenou que o clube jogue uma partida com portões fechados e pague uma multa de 500 mil Grívnia (equivalente a R$ 87.160,38).

A Fifpro (Federação Internacional dos Jogadores Profissionais de Futebol, na sigla em inglês), se manifestou no Twitter contra a punição imposta ao atacante brasileiro. "Estamos muito decepcionados com a decisão da Associação Ucraniana de Futebol de punir Taison com um jogo. Sancionar uma vítima de racismo vai além da compreensão e joga a favor daqueles que promovem esse comportamento vergonhoso".

Tanto Taison quanto o atacante brasileiro Dentinho, seu companheiro no Shakhtar Donetsk, utilizaram as suas redes sociais no dia seguinte ao ocorrido, para se pronunciar a respeito do caso, lamentando o fato. Dentinho, inclusive, chegou a classificar o dia da partida como "o pior da sua vida".

Para Entender

Programação de tv

Veja as principais atrações esportivas do dia

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.