Ng Han Guan/AP
Ng Han Guan/AP

Tardelli faz 2 e Brasil leva Superclássico das Américas na China

Esta é a primeira vitória de Dunga sobre um rival campeão do mundo desde o seu retorno à seleção brasileira após a Copa do Mundo

Raphael Ramos - Enviado Especial a Pequim, O Estado de S. Paulo

11 de outubro de 2014 | 11h12

Todas as atenções estavam voltadas para Neymar e Messi, em Pequim, na disputa do Superclássico das Américas entre Brasil e Argentina. Mas quem roubou a cena foi Diego Tardelli, que marcou dois gols e garantiu a vitória brasileira por 2 a 0 no Ninho do Pássaro. O atacante do Atlético-MG, de 29 anos, nunca havia feito um gol pela seleção.

Com o triunfo, o Brasil conquistou a sua terceira taça do Superclássico - as outras foram em 2011 e 2012. Foi a primeira vitória de Dunga sobre um rival campeão do mundo desde o seu retorno à seleção brasileira após a Copa. Antes, o treinador havia superado Equador e Colômbia, ambos por 1 a 0 em amistosos nos Estados Unidos. Na próxima terça-feira, 14, Dunga buscará a quarta vitória seguida, contra o Japão, em Cingapura.

Apesar de o placar dar a impressão de que a partida foi tranquila, o Brasil passou aperto no início do jogo. A Argentina começou muito bem, com uma postura bastante ofensiva. Com praticamente todos os seus jogadores de linha no campo de ataque, a equipe encurralou o Brasil.

Os argentinos trocavam passes com extrema facilidade. Devido à intensa troca de passes e movimentação dos seus homens de frente, a Argentina dominava a partida, sem dar chances para o contra-ataque do Brasil, uma das principais armas do time de Dunga.

Messi pela direita e Di María pela esquerda não davam sossego para a defesa brasileira. Quando recuperavam a posse de bola, os defensores do Brasil buscavam a ligação direita com os atacantes na base dos chutões. O time não trocava mais do que três passes seguidos e a bola mal passava pelo meio de campo. Irritado por não receber nenhuma bola "limpa", Neymar pedia, em vão, que o time saísse trocando passes.

Aos 20 minutos, Luiz Gustavo perdeu a bola no meio de campo, Messi arrancou em velocidade e tocou para Agüero, que chutou por cima. O jogador do Manchester City, inclusive, destoou do restante do ataque argentino por desperdiçar vários lances fáceis.

Sem conseguir criar nenhuma chance real, o Brasil só chegou ao gol graças a uma falha infantil da defesa argentina. Após cruzamento despretensioso de Oscar pela direita, Zabaleta e Fernández se chocaram pelo alto na tentativa de fazer o corte e a bola sobrou para Diego Tardelli, sem marcação, abrir o placar.

O gol mudou o panorama do jogo. O Brasil melhorou e a Argentina tirou o pé do acelerador. A partida ficou equilibrada, com mais disputas no meio de campo. A seleção brasileira teve a chance de ampliar a vantagem aos 31, quando Neymar fez ótima jogada, deixou os marcadores para trás e, de frente para o goleiro, chutou mal para fora.

Aos 39, o juiz viu pênalti de Danilo em Di María após disputa entre os dois jogadores na área. Depois de ouvir provocações de David Luiz, Messi foi para cobrança, mas parou em Jefferson, que fez boa defesa no canto direito.

No segundo tempo, o Brasil voltou melhor. Dunga acertou a marcação ao avançar o posicionamento dos jogadores de defesa. O time passou a atuar de maneira mais compacta e, assim, diminuiu os espaços dos argentinos.

Aos 15 minutos, o técnico Tata Martino resolveu fazer duas substituições. Trocou Lamela e Agüero por Pastore e Higuaín. Mas nem deu tempo de as alterações surtirem qualquer efeito prático e o Brasil fez o segundo gol em nova falha da defesa argentina. Aos 18 minutos, Oscar cobrou escanteio pela esquerda, David Luiz escorou de cabeça e Diego Tardelli completou para o gol.

Aos 35 minutos e com a vitória já garantida, o atacante deixou o campo e a torcida foi ao delírio. Não por causa dele, mas sim porque Kaká, astro na China desde a sua primeira passagem pelo Milan, o substituiu.

FICHA TÉCNICA

BRASIL 2 x 0 ARGENTINA

BRASIL - Jefferson; Danilo, Miranda, David Luiz (Gil) e Filipe Luís; Luiz Gustavo, Elias, Oscar e Willian; Neymar (Robinho) e Diego Tardelli (Kaká). Técnico: Dunga.

ARGENTINA - Romero; Zabaleta, Fernández, Demichelis e Rojo; Mascherano, Pereyra (Pérez), Lamela (Pastore) e Di María; Agüero (Higuaín) e Messi. Técnico: Tata Martino.

GOL - Diego Tardelli, aos 27 minutos do primeiro tempo e aos 18 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Fan Qi (China).

CARTÕES AMARELOS - David Luiz e Danilo (Brasil); Fernández e Mascherano (Argentina).

RENDA e PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Ninho do Pássaro, em Pequim (China).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.